Mais de 300 mil desempregados inscritos nos centros de emprego em dezembro. Número aumenta há cinco meses

23 jan, 11:18
IEFP

Mais de 300 mil pessoas estavam inscritas nos centros de emprego em dezembro, o que representa um aumento de 3,5% face a novembro. É o quinto mês consecutivo de agravamento.

Mais de 300 mil pessoas estavam inscritas nos centros de emprego em dezembro, o que representa um aumento de 3,5% face a novembro, mas uma queda de 11,8% face ao período homólogo, revelam os dados divulgados esta segunda-feira pelo IEFP. O número de inscritos está a aumentar há cinco meses consecutivos.

No final do ano passado, estavam inscritas nos centros de emprego 307.005 pessoas (incluindo Continente e ilhas), isto é mais 10.282 pessoas do que no mês anterior (aumento de 3,5%), mas menos 40.954 do que em igual período de 2021 (quebra de 11,8%). Contas feitas, o número de pessoas inscritas nos centros de emprego está a subir desde julho, isto é, há cinco meses consecutivos.

O IEFP justifica a quebra homóloga do desemprego registado com “os grupos dos indivíduos que possuem idade igual ou superior a 25 anos (-37.223), os que procuram novo emprego (-37.976) e os inscritos há 12 meses ou mais (-49.351)” .

Em reação a estes dados, o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS) não faz qualquer referência em relação há subida do desemprego em cadeia, referindo apenas que “o ano de 2022 foi, no geral, o melhor ano em termos de desemprego registado, tendo assinalado, desde março de 2022, valores sistematicamente mais baixos do que os valores homólogos de 2019″, lê-se.

Já no que toca ao desemprego jovem, o Governo realça que “2022 foi também, no geral, o melhor ano, com valores sistematicamente mais baixos do que os valores homólogos de 2019, exceto nos meses de janeiro e junho”. No final de dezembro, havia 32.425 jovens com menos de 25 anos inscritos nos centros de emprego em território nacional, o que representa uma quebra de 1,6% face a novembro e menos 10,3% face ao período homólogo.

Quanto aos pedidos de desemprego fixaram-se em 468.064 no final de dezembro, o que representa um aumento 0,7% face a novembro, mas uma quebra de 11% face a dezembro de 2021.

Economia

Mais Economia

Patrocinados