Incêndio em Cuba alastrou a terceiro tanque de combustível. Sobe para 122 o número de feridos

Agência Lusa , BCE
8 ago, 06:18
Relâmpago atinge tanque de combustível em Cuba e provoca incêndio de grandes dimensões (AP Photo/Ramon Espinosa)

O incêndio começou na sexta-feira, quando um raio atingiu um dos tanques da zona industrial e excedeu as capacidades do sistema de pára-raios

O incêndio na zona industrial da província de Matanzas, no oeste de Cuba, alastrou no domingo a um terceiro tanque de combustível, avançou a televisão estatal cubana.

Uma enorme coluna de fogo com várias dezenas de metros de altura surgiu repentinamente na área minutos antes da meia-noite (05:00 em Lisboa), após as equipas de emergências, cubanas e estrangeiras, não terem conseguido conter as chamas nos dois primeiros tanques afetados.

A zona industrial, localizada a 100 quilómetros da capital cubana, Havana, tem um total de oito tanques, cada um com capacidade para 50 mil metros cúbicos de combustível.

As chamas atingiram o terceiro tanque, que havia sido coberto com água do mar durante grande parte de domingo, dia em que o segundo tanque afetado desabou devido ao incêndio.

Pouco antes, as equipas de emergência tinham-se retirado da área, após rajadas fortes de vento forte terem atiçado as chamas.

O Ministério da Saúde Pública cubano indicou no seu último relatório que o incêndio já provocou um morto e 122 feridos, dos quais cinco permanecem em estado crítico e três em estado grave.

Estão ainda desaparecidos 15 bombeiros, surpreendidos pela explosão do segundo tanque quando trabalhavam na linha de frente para conter o fogo no primeiro depósito. A recuperação dos corpos das vítimas mortais só irá começar depois das chamas serem apagadas, explicou o Governo cubano.

O incêndio começou na sexta-feira, quando um raio atingiu um dos tanques da zona industrial e excedeu as capacidades do sistema de pára-raios.

As autoridades cubanas indicaram que mais de 5.000 pessoas foram retiradas das suas casas no bairro de Matanzas, localizado nas proximidades do parque industrial.

O fogo aconteceu apenas três meses depois de uma explosão no hotel Saratoga, em Havana, que provocou 47 mortos.

O governo cubano pediu ajuda a especialistas internacionais de “países amigos”, com experiência no setor petrolífero, para controlar o incêndio.

Relacionados

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados