Diogo Costa no centro das atenções: como Ronaldo animou o guarda-redes

24 nov, 18:28

Capitão foi ter com o jovem, depois de um erro que podia ter custado caro, e começou por abraçá-lo. Mais tarde foi dizer a Pepe que tinha de puxar pelo colega, os dois foram ter com ele e Cristiano perguntou-lhe: «Foi golo?»

No final do jogo Diogo Costa era a expressão da desilusão. O guarda-redes da Seleção Nacional tinha provocado um momento que ameaçou ceder o empate e que prometia ficar para a história.

Com a bola nas mãos, Diogo Costa não se apercebeu da presença de Iñaki Williams nas costas, deitou a bola ao chão e deixou que o adversário lha roubasse. A sorte esteve, porém, com ele: Iñaki Williams escorregou quando ia rematar para a baliza, Ruben Dias conseguiu cortar de carrinho e Danilo afastou o perigo com um alívio longo.

Após o apito final, todos os atletas da Seleção Nacional foram ter com Diogo Costa.

O colega José Sá foi o primeiro, dando-lhe um longo abraço. Seguiram-se logo depois Bernardo Silva e Diogo Dalot. Pouco depois, Cristiano Ronaldo foi ter também com o guarda-redes, deu-lhe um abraço e caminhou a seu lado com o braço sobre os ombros a apoiá-lo.

Vitinha pareceu dizer-lhe para respirar fundo, que nada de grave tinha acontecido, Raphael Guerreiro foi cumprimentá-lo e Danilo Pereira referiu que estava a avisá-lo.

A imagem mostra depois Cristiano Ronaldo a ir ter com Pepe e a dizer-lhe alguma coisa, logo de seguida os dois gritaram a chamar por Diogo Costa. O capitão pareceu estar a dizer que tinham de falar com o guarda-redes. Logo a seguir os dois foram ter com o jovem.

O som do estádio não permite ouvir a conversa toda, mas percebe-se que Ronaldo diz «Ó Diogo, tens de reagir», ficando a impressão que o capitão estava a pedir que o guarda-redes seguisse em frente e não pensasse mais naquilo. «Foi golo?», gritou Cristiano Ronaldo, de braços abertos, enquanto puxava pelo ânimo pelo companheiro.

Ainda abraçado ao colega, José Sá responde com um «ele sabe».

Ronaldo

Mais Ronaldo

Patrocinados