Estátua de Ronaldo em Goa causa protestos por ligação ao colonialismo

29 dez 2021, 11:00
Estátua de Ronaldo em Goa
Estátua de Ronaldo em Goa

Monumento foi inaugurado na terça-feira em Calangute, mas houve vozes de discordância

PUB

Uma estátua de bronze do futebolista português Cristiano Ronaldo foi inaugurada na noite de terça-feira em Calangute, estado de Goa, Índia, e gerou protestos entre os locais, por ligação ao colonialismo. 

O ministro de Goa, Michael Lobo, argumentou que a iniciativa tem como objetivo deixar uma mensagem para os mais jovens.

PUB

«É a primeira vez que uma estátua de Cristiano Ronaldo surge na Índia. Não é nada mais senão o inspirar a nossa juventude. Se queres levar o futebol a outro nível, então é isso que os jovens, rapazes e raparigas, esperam: tirar selfies e olhar para a estátua e ficarem inspirados para jogar», disse o governante, à agência ANI.

A estátua pesa cerca de 410 quilos, segundo a imprensa indiana e, para Michael Lobo, trata-se apenas de uma imagem inspiradora.

«Queremos boas infraestruturas por parte do Governo. Precisamos de treinadores para treinar os nossos rapazes e raparigas. O Governo devia recrutar antigos jogadores para treinadores, que jogaram por Goa e foram motivo de orgulho para a Índia. Só por este caminho é que podemos avançar no campo do desporto», acrescentou.

PUB
PUB
PUB

No entanto, a estátua motivou alguns protestos, com manifestantes anticolonialistas a acusarem as autoridades estaduais de esquecerem lendas do futebol local, como o ex-capitão da seleção indiana de futebol, Bruno Coutinho, natural de Calangute.

«Muito desapontado por saber da estátua do Ronaldo. Aprendam a ter orgulho dos nossos próprios ícones, como Samir Naik e Bruno Coutinho», disse Ricardo D’Souza, dono de um estabelecimento noturno popular em Calangute, citado pelo Deccan Herald.

Outra das vozes de protesto foi a do ativista Guru Shirodka, que recordou que se celebram 60 anos da «Libertação de Goa», como é conhecido na Índia o movimento militar que iniciou a anexação daquele estado. «Erguer uma estátua de um futebolista português este ano é um sacrilégio. Condenamos isto. Há muitos lutadores pela liberdade em Goa que foram insultados. Se Lobo quer erguer estátuas de futebolistas, devia ter erguido uma de Bruno Coutinho», disse.

Em resposta aos protestos, Lobo disse que os opositores à estátua de Ronaldo «parecem odiar» futebol. «O futebol pertence a todos. Não é dividido por religiões ou castas, mas mesmo assim continuam a opor-se com bandeiras negras. Não posso dizer nada sobre eles», apontou o ministro.

PUB
PUB
PUB

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Patrocinados