Atenção à FTX: abriu falência. E o fundador, cuja fortuna caiu para menos de mil milhões, demitiu-se

11 nov, 17:11
Criptomoeda

Já foi a terceira maior corretora de criptomoedas do mundo

A corretora de criptomoedas FTX avançou com um pedido de falência nos EUA, depois de uma corrida aos levantamentos ter provocado graves problemas de liquidez à companhia. O jovem fundador da empresa, Sam Bankman-Fried, apresentou a demissão da liderança.

O pedido foi feito ao abrigo do chamado Chapter 11, um enquadramento legal que permite à corretora continuar a operar enquanto procura chegar a um acordo para reembolsar os credores. Abrange também entidades ligadas à FTX.com, FTX US e Alameda Research, que era o fundo de investimento de Bankman-Fried, com estreitas ligações com a FTX.

A notícia representa uma reviravolta surpreendente nos destinos da FTX, que já foi a terceira maior corretora de criptomoedas do mundo. Até há poucos dias, Bankman-Fried era visto como uma das figuras mais influentes e promissoras do universo “cripto”. Segundo o The New York Times, a respetiva fortuna, outrora estimada em 24 mil milhões de dólares, caiu nos últimos dias para menos de mil milhões.

As dificuldades da FTX têm causado tumulto no mercado das criptomoedas esta semana, depois de surgirem os primeiros rumores sobre a situação frágil da empresa durante o fim de semana. O caso culminou na assinatura de um acordo na terça-feira, entre a FTX e a rival Binance, para a compra da primeira. Só que o negócio morreu um dia depois, com o líder da Binance, Changpeng Zhao, a insinuar a existência de problemas mais graves.

No rescaldo da notícia da falência da FTX, as principais criptomoedas negoceiam em queda. A bitcoin desvaloriza mais de 4% e volta a baixar a fasquia dos 17 mil dólares, acumulando perdas de 20% nos últimos sete dias. O Ethereum cai 4,63% e chega a perder 23,32% na última semana.

Relacionados

Empresas

Mais Empresas

Patrocinados