Caçadores furtivos condenados a 5 anos de prisão por matarem tigre fêmea e a sua cria

MCP
8 mar 2023, 17:23
Caçadores (foto: Department of National Parks and Wildlife Conservation/DNP)

Os homens venderam partes dos animais, que fazem parte de uma espécie protegida, no mercado negro

Um tribunal da Tailândia condenou cinco caçadores furtivos a cinco anos de prisão, por matarem dois tigres - uma fêmea e a sua cria - num parque natural, em 2022.

O tribunal determinou que os cinco homens infringiram a lei ao matar os animais, que são uma espécie protegida naquela área do Parque Nacional Thong Pha Phum. Para além disso, venderam as peles e ossos no mercado negro.

A caça furtiva é uma prática que ameaça esta espécie animal, muito em parte devido a crenças chinesas e vietnamitas, sobre as qualidades dessas partes do corpo do tigre, para uso na medicina tradicional.

O juiz rejeitou o argumento apresentado pelos arguidos de que se teria tratado de uma vingança. Segundo os homens, os tigres tinham atacado o gado da comunidade. Perante essa justificação, o juiz respondeu que eles deveriam sentir-se “mais protetores da natureza” por viverem numa aldeia perto da floresta.

O presidente do Parque Nacional, Charoen Jaichon, disse, em declarações à CNN America, estar “feliz que a justiça tenha sido feita” e que “este é um forte aviso para qualquer caçador ileglr nos parques nacionais da Tailândia”.
 

Ásia

Mais Ásia

Mais Lidas

Patrocinados