OMS admite: " Há consideráveis incertezas sobre a magnitude da Ómicron"

29 nov 2021, 08:00

Organização Mundial da Saúde aponta um "número sem precedentes de mutações" na nova variante descoberta na África do Sul, considerando "muito alto" o risco global de infeção

PUB

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está preocupada com a nova variante do SARS-CoV-2, pelas poucas respostas que tem nesta altura sobre o impacto da Ómicron, considerando "muito alto" o risco global de infeção.

"Há consideráveis incertezas sobre a magnitude do potencial da Ómicron", assumiu a OMS, nesta segunda-feira, num relatório divulgado sobre a nova variante, temendo "consequências severas".

PUB

Em causa, o "número sem precedentes de mutações" da variante descoberta na África do Sul, que tem levado muitos países a impor restrições aéreas com vários países africanos, e que "pode ter impacto na trajetória da pandemia".

“Pode haver novas ondas de covid-19 com consequências graves, dependendo de muitos fatores, como os locais onde essas ondas ocorrem”, prevê.

No entanto, a OMS acredita que, apesar de "serem esperados casos de covid-19 em pessoas vacinadas", será "numa proporção pequena e previsível".

A Organização espera ter, "nas próximas semanas", mais dados sobre a resposta imunológica da vacina à Ómicron e à imunidade gerada após infeção.

PUB
PUB
PUB

Enquanto isso não acontece, e em antecipação ao aumento do número de casos de covid-19, os países "devem ter preparados os seus planos de mitigação" da doença com vista ao melhor funcionamento dos serviços de saúde.

"O aumento de casos, independentemente de qualquer mudança na gravidade dos mesmos, pode representar uma procura esmagadora nos serviços de saúde e pode levar ao aumento da doença e da mortalidade. O impacto sobre as populações vulneráveis ​​seria substancial, particularmente em países com baixa cobertura de vacinação", alerta.

A OMS pede, por isso, aos países para "acelerarem" a vacinação dos grupos prioritários.

O primeiro caso da variante Ómicron foi detetado a 24 de novembro, na África do Sul.

 

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados