Covid-19: DGS reduz isolamento de sete para cinco dias (mas há exceções)

7 jul, 17:21
Homem de máscara (Associated Press)

DGS continua a recomendar a utilização de máscara nos cinco dias após o isolamento

A Direção-Geral da Saúde (DGS) reduziu de sete para cinco dias o isolamento profilático para pessoas que testem positivo à covid-19 e que tenham passado esse período sem sintomas ou com sintomas ligeiros.

Assim, as pessoas que apresentem sintomas considerados moderados ou graves vão ter de continuar a cumprir isolamento consoante a duração e gravidade dos sintomas. Segundo a atualização da norma, pessoas com doença moderada terão de ficar 10 dias em isolamento, enquanto pessoas com doença grave terão de fazer um isolamento entre 10 e 20 dias, necessitando de um teste negativo para poderem sair no período mínimo.

"O tempo mínimo de isolamento é reduzido de sete para cinco dias no caso de pessoas com infeção assintomática ou doença ligeira, desde que a pessoa, quando doente, já não tenha febre e esteja melhor dos seus sintomas", esclarece a DGS.

Aquela autoridade avisa ainda que a utilização de máscara continua a ser recomendada cinco dias após o fim do isolamento, uma vez que o vírus ainda pode ser transmitido: "Ainda que a infecciosidade diminua após o quinto dia, o vírus ainda pode ser transmitido, pelo que é fortemente recomendado o uso de máscara em todas as ocasiões durante mais cinco dias após o isolamento", pode ler-se no comunicado.

Já para as pessoas internadas ou residentes em Estruturas Residenciais Para Pessoas Idosas com infeção assintomática ou doença ligeira, o tempo mínimo de isolamento continua a ser de sete dias, "atendendo à maior vulnerabilidade nestes contextos".

Por último, as pessoas com imunodepressão devem ser seguidas caso-a-caso pelo médico assistente, que vai ser a pessoa responsável por decretar o fim do isolamento.

Esta é a confirmação de uma medida que já tinha sido anunciada pelo Governo em Conselho de Ministros.

Relacionados

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados