Coreia bate recordes de covid-19 e aperta regras

15 dez 2021, 06:08
Coreia do Sul
Coreia do Sul

País, que era apontado como exemplar na gestão da pandemia, vai impor restrições a atividades económicas e convívios privados. Recordes de casos, internados e mortos fizeram soar alarmes 

PUB

A atual vaga de covid na Coreia do Sul continua a bater novos recordes de casos diários e de internamentos hospitalares, incluindo doentes graves. Face ao agravamento dos dados para patamares nunca antes verificados no país, o governo de Seul admite restaurar algumas restrições impostas na primeira vaga da pandemia e está a ponderar apertar outras regras.

Os últimos dados, revelados esta quarta-feira, indicam 7.850 novas infeções, das quais apenas 22 são casos “importados” de fora do país. Um número que ultrapassa o recorde anterior de 7.174 casos, registado há uma semana. 

PUB

A Coreia do Sul foi, durante mais de um ano e meio, apontada como um caso de estudo na gestão da pandemia (assim como o vizinho Japão), mas desde o início de novembro, quando as poucas restrições ainda em vigor foram quase todas levantadas, a situação tem-se agravado. Os novos casos diários têm oscilado entre 4 mil e 7 mil, valores bem acima dos piores anteriormente verificados no país.

Segundo os dados da Agência de Prevenção e Controle de Doenças da Coreia (KDCA), também os pacientes graves estão em níveis históricos: 964, bastante acima do máximo anterior, 906, na terça-feira.

PUB
PUB
PUB

Esta vaga deve-se essencialmente à variante Delta, cujo impacto na Coreia do Sul ainda não se tinha feito sentir. Quanto à nova variante Ómicron, as autoridades notificaram apenas mais nove casos, num total acumulado de 128.

Inversão no desconfinamento

Face ao agravamento da situação, o primeiro-ministro sul-coreano alertou que o governo vai inverter o desconfinamento quase total que havia sido anunciado em novembro. Os limites de pessoas em reuniões ou convívios privados serão reduzidos, e vai voltar a ser imposto recolher obrigatório ao comércio e à restauração, adiantou o primeiro-ministro Kim Boo-kyum. 

O governo reuniu de emergência devido ao aumento acentuado no número de casos, de internamentos e de mortes (mais 94 só no dia de ontem). 

"O governo considera a situação atual do vírus muito séria e tenciona implementar um esquema de distanciamento social muito mais robusto", disse Kim durante uma reunião da Sede Central de Contramedidas de Segurança e Desastres.

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados