Governo garante voos de repatriamento de e para Moçambique, mas pede paciência

Agência Lusa
28 nov 2021, 17:07

Augusto Santos Silva diz que tudo está a ser feito para que os voos sejam realizados o "mais rapidamente possível"

PUB

O ministro dos Negócios Estrangeiros pediu este domingo desculpa e muita paciência pelos incómodos causados pela suspensão dos voos de e para Moçambique a partir de segunda-feira, comprometendo-se com a realização de voos de repatriamentos. O Governo decidiu suspender as ligações aéreas por causa da nova variante da covid-19 descoberta na África do Sul, e que já foi denominada Omicron.

“A única coisa que agora mais peço é muita paciência, visto ter sido uma decisão [suspensão dos voos] muito repentina, porque as notícias do aparecimento de uma nova variante são da semana passada e foi preciso a União Europeia agir imediatamente, portante, peço paciência e desculpa por todos os incómodos desta decisão”, afirmou Augusto Santos Silva.

PUB

Augusto Santos Silva, que falava aos jornalistas à entrada para a atribuição do Prémio Manuel António da Mota, no Porto, sublinhou que o Governo vai realizar voos de repatriamento para quem está em Moçambique e quer regressar a Portugal e vice-versa.

Os voos de e para Moçambique vão ser suspensos a partir das 00:00 de segunda-feira, 29 de novembro, anunciou na sexta-feira o Ministério da Administração Interna (MAI), impondo ainda quarentena a passageiros oriundos de um conjunto de países africanos.

PUB
PUB
PUB

“Agora o que vamos fazer é organizar voos, ou seja, promover a realização dos voos necessários para que cidadãos portugueses ou europeus e residentes em Moçambique que tenham de regressar a Portugal o possam fazer e, inversamente, cidadãos moçambicanos residentes em Portugal que queiram regressar ao seu país”, explicou.

O ministro adiantou que o Governo vai fazer com que estes voos sejam realizados o “mais rapidamente possível”, nomeadamente nos próximos dias, acrescentando quem a partir do momento em que disponha dos planos e programas referentes a estes voos, torná-los-á públicos.

Por esse motivo, além de desculpa e paciência, Augusto Santos Silva pediu serenidade, referindo que é sempre favorável para que as coisas se organizem da melhor maneira possível.

O ministro aproveitou ainda a ocasião para destacar a “total transparência” com que a África Austral, nomeadamente a África do Sul, tem agido em todo o processo, tendo informado “imediatamente” a detenção de uma nova variante.

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Governo

Mais Governo

Patrocinados