Já há previsão de data para o primeiro teste nuclear da Coreia do Norte desde 2017

28 set, 09:19
Kim Jong-un é visto a acompanhar o progresso do programa nuclear

Agendamento estará relacionado com a realização de importantes eventos políticos na China e nos Estados Unidos

O primeiro teste nuclear da Coreia do Norte em cinco anos deverá ocorrer entre 16 de outubro e 7 de novembro. A informação está a ser avançada pela agência sul-coreana Yonhap, que cita informações dadas pelos serviços secretos a legisladores do país.

As preparações para o teste nuclear foram completadas no túnel Punggye-ri, local habitualmente utilizado para este tipo de manobras, tendo sido ali que decorreram seis testes do género entre 2006 e 2017.

A Yonhap refere ainda que a data escolhida para este teste estará relacionada com a realização de importantes eventos políticos na China e nos Estados Unidos, países cuja relação ficou mais tensa após episódios na ilha de Taiwan.

“Os serviços secretos disseram que, se a Coreia do Norte conduzir um teste nuclear, isso poderá acontecer entre o 20.º congresso do partido da China, a 16 de outubro, e as eleições intercalares dos Estados Unidos, a 7 de novembro”, disse o deputado Yoo Sang-bum.

Quem já reagiu às datas avançadas pela Coreia do Sul foi a China, cuja posição será de "manter a estabilidade na península da Coreia". Citado pela agência Reuters, o ministério chinês dos Negócios Estrangeiros referiu ainda que as diferentes partes interessadas no assunto devem tomar medidas concretas para responderem às "preocupações legítimas" da Coreia do Norte.

A Coreia do Norte aprovou, já neste mês de setembro, uma lei que autoriza o lançamento de ataques “automáticos” com armas nucleares e que declara como "irreversível" o estatuto de potência nuclear do país, avançou esta sexta-feira a imprensa estatal.

"Se o sistema de comando e controlo da força nuclear nacional estiver em risco de ser atacado por forças hostis, um ataque nuclear é realizado automaticamente e imediatamente", refere a lei, citada pela KCNA.

Segundo a agência de notícias oficial norte-coreana, se a liderança de Pyongyang, incluindo Kim Jong Un, estivesse em perigo, um contra-ataque nuclear seria lançado, independentemente do tipo de ataque sofrido.

Relacionados

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados