Consumo das famílias na zona euro sobe e rendimento recua no 2.º semestre

Agência Lusa , AM
28 out, 11:53
Supermercado

Rendimento real dos agregados familiares por habitante é definido como o rendimento bruto disponível ajustado dos agregados dividido pela população total e pelo índice dos preços da despesa do consumo final das famílias

O consumo real por habitante dos agregados familiares aumentou, no segundo trimestre, tanto na zona euro quanto na União Europeia (UE), enquanto o rendimento real familiar ‘per capita’ recuou em ambas, divulga esta sexta-feira o Eurostat.

Segundo os dados divulgados pelo serviço europeu de estatísticas, o consumo real por habitante dos agregados familiares avançou, no segundo trimestre, 0,6% na zona euro e na UE, o que se compara a uma subida homóloga de 2,6% em ambas e de, respetivamente, 0,2% e 0,3% nos primeiros três meses do ano.

Por seu lado, o recuo de 0,9% do rendimento real das famílias nos países da moeda única compara-se com um avanço homólogo de 1,3% e uma quebra de 0,2% no primeiro trimestre.

No conjunto dos 27 Estados-membros, o rendimento real das famílias por habitante recuou 1,2% entre abril e junho, valor que se compara com uma subida de 0,8% homóloga e de 0,4% no trimestre anterior.

O rendimento real dos agregados familiares por habitante é definido como o rendimento bruto disponível ajustado dos agregados dividido pela população total e pelo índice dos preços da despesa do consumo final das famílias.

O consumo real, por seu lado, define-se como o consumo final efetivo, dividido pela população total e pelo deflator da despesa de consumo final dos agregados.

Dinheiro

Mais Dinheiro

Mais Lidas

Patrocinados