O Conselho de Estado reuniu-se durante quase três horas: concluiu que é preciso "conjugar exigências prementes de curto prazo com perspetivas de médio e longo prazo"

Cláudia Évora , com Lusa
28 out, 19:14
Reunião do Conselho de Estado (Lusa/José Sena Goulão)

Costa e Marcelo ficaram mais tempo dentro da sala

Ao final de quase três horas de reunião do Conselho de Estado para analisar a situação económica e social em Portugal, a Presidência da República emitiu uma nota com três parágrafos.

Entre "obstáculos e desafios", os conselheiros querem medidas políticas "que permitam mitigar a inflação e seus efeitos e incentivar o crescimento", tendo por base o "combate à pobreza, a diminuição das desigualdades sociais e bem-estar dos cidadãos".

"No contexto das intervenções dos senhores conselheiros, foram examinados os obstáculos e os desafios que se colocam a Portugal, em termos económicos e sociais, face ao atual quadro de incertezas e dificuldades, quer a nível nacional, quer a nível europeu e mundial.", lê-se no comunicado.

Depois de o Conselho de Estado ter terminado e de todos os conselheiros terem saído, António Costa permaneceu no Palácio da Cidadela, em Cascais, com Marcelo Rebelo de Sousa.

A comunicação social questionou o Presidente da República à saída do Palácio da Cidadela, mas Marcelo não quis prestar declarações: "Havemos nos próximos dias de nos encontrar. À saída da reunião, não. Já vou atrasadíssimo".

"Não, não, não. Conselho de Estado é Conselho de Estado, sagrado, há um comunicado, não há declarações hoje. Olhem, assim, é uma exceção", acrescentou, perante a insistência dos jornalistas.

Esta foi a 26.ª reunião convocada por Marcelo desde que assumiu a chefia do Estado, em 9 de março de 2016. Participaram nesta análise o presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, o primeiro-ministro, António Costa, a provedora de Justiça, Maria Lúcia Amara, os presidentes dos governos regionais da Madeira, Miguel Albuquerque, e dos Açores, José Manuel Bolieiro, e o antigo Presidente da República Aníbal Cavaco Silva.

António Lobo Xavier, Luís Marques Mendes, Leonor Beleza, Carlos César, Francisco Pinto Balsemão, Manuel Alegre, António Sampaio da Nóvoa e Miguel Cadilha completam a lista de conselheiros de Estado presentes nesta reunião.

Estiveram ausentes o antigo chefe de Estado António Ramalho Eanes, o presidente do Tribunal Constitucional, João Caupers, e os conselheiros António Damásio e Lídia Jorge.

A nota do Presidente da República na íntegra: 

“O Conselho de Estado, reunido sob a presidência de Sua Excelência o Presidente da República, hoje, dia 28 de outubro, de 2022, no Palácio da Cidadela em Cascais, analisou a situação económica e social em Portugal.

No contexto das intervenções dos Senhores Conselheiros, foram examinados os obstáculos e os desafios que se colocam a Portugal, em termos económicos e sociais, face ao atual quadro de incertezas e dificuldades, quer a nível nacional, quer a nível europeu e mundial.

Foi, ainda, realçada a importância de concretizar políticas que permitam mitigar a inflação e seus efeitos e incentivar o crescimento, tendo como preocupação o combate à pobreza, a diminuição das desigualdades sociais e bem-estar dos cidadãos. E conjugando exigências prementes de curto prazo com perspetivas de médio e longo prazo.”

Relacionados

Política

Mais Política

Patrocinados