Preços dos combustíveis atingem recordes sucessivos – mais um esta terça-feira. Petróleo pode chegar a 140 dólares

8 jun, 07:00
Vem aí novo aumento nos preços dos combustíveis. Saiba o que esperar

Depois da forte subida na segunda feira, em torno dos 11 cêntimos por litro, as gasolinas e os gasóleos voltaram a ficar mais caros na terça-feira, dia em que saíram estimativas que apontam para um aumento do petróleo em mais vinte cêntimos por barril. António Costa diz que combustíveis não descerão significativamente enquanto a guerra na Ucrânia durar

Os preços dos combustíveis não param de subir. Depois das fortes subidas na segunda-feira, em torno dos 11 cêntimos por litro (mas que chegaram quase aos 13 cêntimos, no caso da gasolina especial 95), na terça voltaram a aumentar os preços de venda ao público, sustentando a ameaça de que a escalada está por terminar.

E assim se vão atingindo os preços mais elevados de sempre, um dia após o outro.

Na terça-feira, a gasolina 95 subiu mais 1,5 cêntimos por litro, elevando o aumento em apenas dois dias para 13,1 cêntimos. Custa agora, em média em Portugal, €2,186 por litro. Já a gasolina especial 95 voltou a subir ontem mais meio cêntimo, acumulando 13,4 cêntimos de aumento em dois dias, para um preço atual de €2,213 por litro.

A gasolina 98 subiu mais 2,5 cêntimos por litro na terça-feira, perfazendo um aumento de 13,2 cêntimos em dois dias, para um preço de venda de €2,331 por litro. A gasolina especial 98 encareceu mais um cêntimo, somando mais 12,7 cêntimos em dois dias, para um preço final de €2,335 por litro.

Nos combustíveis para veículos a diesel os aumentos são ligeiramente menores. O gasóleo simples aumentou mais 1,1 cêntimos na terça-feira, elevando o aumento dos últimos dois dias para 11,5 cêntimos, para um preço médio em Portugal de €1,904 por litro. Finalmente, o gasóleo especial subiu 0,6 cêntimos na terça-feira, somando mais 11,4 cêntimos em dois dias, para um preço final de €1,936 por litro.

Petróleo pode subir aos 140 dólares

Os aumentos de preços dos combustíveis ocorrem a par da subida das cotações internacionais do crude, que na mesma segunda feira toparam os 120 dólares por barril. A escalada pode não ficar por aqui.

É nisso que acredita o banco de investimento Goldman Sachs, que reviu as suas estimativas para a evolução da matéria-prima. Se a previsão anterior era de 125 dólares por barril, a Goldman prevê agora que as cotações do índice Brent possam chegar aos 140 dólares por barril entre julho e setembro, mais cerca de vinte cêntimos do que a cotação atual.

“Acreditamos que os preços do petróleo precisam de subir mais para normalizar os insustentáveis baixos níveis de armazenamento global de petróleo, assim como as capacidades da OPEP e da refinação”, escreveram os analistas estratégicos da Goldman Sachs. Há ainda previsões piores. É o caso do economista Mark Zandi, da Moody’s Analytics, que aponta para uma evolução do índice Brent até cerca dos 150 dólares, o que segundo ele provocaria uma recessão económica imediata nos Estados Unidos.

Ontem, o primeiro-ministro, António Costa, disse que o preço dos combustíveis só baixará em Portugal quando a guerra na Ucrânia terminar, conforme foi citado pela Lusa: “É preciso ser claro para todos, os preços só vão baixar quando a guerra parar e quando for restabelecida a normalidade no fornecimento de combustível. Enquanto a guerra continuar, enquanto continuar a haver este aumento do preço no mercado internacional, é evidente que [o preço] sobe também em Portugal", disse António Costa.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Economia

Mais Economia

Patrocinados