Combustíveis voltam a descer na próxima semana. Gasóleo deve baixar 4,5 cêntimos e gasolina 2 cêntimos

ECO - Parceiro CNN Portugal , Mónica Silvares
28 abr, 11:35
Combustíveis, preços, inflação, gasolina, gasóleo. Foto: Uwe Lein/picture alliance via Getty Images

Vem aí um fim de semana prolongado com o feriado de 1 de maio. Se puder, espere por segunda-feira para encher o depósito

Os preços dos combustíveis vão voltar a descer na próxima semana. O gasóleo, o combustível mais usado em Portugal, deverá baixar 4,5 cêntimos e a gasolina dois cêntimos, avançou ao ECO fonte do setor.

A partir desta segunda-feira, quando for abastecer, deverá passar a pagar 1,428 euros por litro de gasóleo simples e 1,653 euros por litro de gasolina simples 95, tendo em conta os valores médios praticados nas bombas à segunda-feira, divulgados pela Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG).

Estes preços já têm em conta os descontos aplicados pelas gasolineiras e a revisão das medidas fiscais temporárias para ajudar a mitigar o aumento do preço dos combustíveis. Mas os valores ainda deverão sofrer alterações porque a “redução da carga fiscal de 32,8 cêntimos por litro de gasóleo e de 34 cêntimos por litro de gasolina” só estará em vigor até ao final deste mês. É expectável que o Ministério das Finanças emita um novo comunicado no qual faça uma nova revisão dos apoios.

Os preços podem ainda sofrer alterações para ter em conta o fecho das cotações do petróleo brent esta sexta-feira e o comportamento do mercado cambial. Mas também porque os preços finais resultam da média dos valores praticados por todas as gasolineiras. E é de recordar que os preços cobrados ao consumidor final podem variar consoante o posto de abastecimento.

Este desagravamento dos preços dos combustíveis surge depois de esta semana os preços não terem sofrido qualquer alteração.

Os preços do crude sobem ligeiramente esta sexta-feira — 0,63% para os 78,8 dólares por barril — caminhando para mais uma queda mensal após os dados pouco animadores relativos à economia norte-americana e às incertezas de um aumento adicional das taxas de juro, que tem pressionado as perspetivas de procura do ouro negro. Ainda assim, os preços do brent estão a recuperar face às perdas matinais depois de os dados do Eurostat que as economias do euro regressaram ao crescimento, ainda que marginal, no primeiro trimestre e que a Alemanha conseguiu evitar a recessão.

Evolução do preço do Brent em Londres

Relacionados

Economia

Mais Economia

Patrocinados