Patrocinador da cimeira do clima aumentou uso de plástico para 3,2 milhões de toneladas - quando acordou reduzir

2 nov, 18:20
Coca-cola apresenta nova tampa (Foto: AP/Nam Y. Huh)

Escolha da Coca-Cola como patrocinador para a COP27 no Egito gerou amplas críticas por parte de ativistas, que acusam a companhia de ser um dos maiores poluidores de plástico do mundo

A Coca-Cola, escolhida para ser patrocinadora da cimeira climática COP27, aumentou a sua utilização de plástico em 3,5% nos últimos três anos, para um acréscimo de 3,2 milhões de toneladas.

De acordo com dados da Fundação Ellen MacArthur, que reuniu um grupo de multinacionais num "compromisso global" para cortar resíduos de plástico, a Coca-Cola, a PepsiCo e a Walmart estavam entre as companhias que mais utilizaram plástico não reciclado em 2021.

As empresas terão de "exponencialmente" aumentar a sua utilização de plástico reciclado para atingir uma meta agregada de 26% de conteúdo reciclado até 2025, disse a fundação, depois de terem coletivamente concordado em baixar a utilização deste plástico até aos níveis registados em 2018.

Como parte do impulso para reduzir a poluição e as emissões, as empresas também concordaram com o objetivo de utilizarem 100% de embalagens reutilizáveis, recicláveis, ou compostáveis até 2025, o que a fundação afirmou estar "a tornar-se inatingível para a maioria das empresas signatárias".

"Todo o seu grande progresso [no aumento da utilização de plástico reciclado] foi completamente desfeito pelo enorme crescimento da sua utilização global de embalagens", disse Sander Defruyt, que lidera a Iniciativa da Nova Economia do Plástico na fundação ao Financial Times.

A escolha da Coca-Cola como patrocinador para a cimeira climática da ONU no Egito este mês foi amplamente criticada por ativistas, que acusam a multinacional de ser um dos maiores poluidores de plástico do mundo. Durante o período de 2019 a 2021, a utilização total de plástico da Coca-Cola aumentou para 3,2 milhões de toneladas.

Georgia Elliott-Smith, diretora-geral de sustentabilidade na consultora Element Four e fundadora de uma petição online com 235.000 assinaturas para que a empresa fosse expulsa como patrocinadora, disse que o aumento na utilização de plástico virgem foi "mais uma falha da Coca-Cola em cumprir as suas promessas".

"Durante mais de 30 anos, deixaram um rasto de oportunidades perdidas e promessas abandonadas", disse, acrescentando que o patrocínio lhes permitia "lavar de verde a sua marca".

Já a Coca-Cola disse estar "empenhada em fazer mais, mais depressa, para que o negócio cresça da forma correcta". “Estamos concentrados na ação contínua através dos nossos objetivos, incluindo tornar 100% das nossas embalagens recicláveis a nível mundial até 2025", afirmou em comunicado, sublinhando que o número se situava atualmente nos 90%. 

A Coca-Cola acrescenta ainda que o seu "apoio à COP27 está de acordo com o objectivo de reduzir as emissões absolutas de carbono em 25% até 2030, tal como a ambição de chegar a zero emissões líquidas de carbono até 2050".

Entre os maiores utilizadores de embalagens de plástico que participaram na iniciativa da Fundação Ellen MacArthur, a PepsiCo também aumentou a sua utilização de plástico virgem em 4,5% em 2021 em relação ao ano anterior, enquanto o grupo Walmart aumentou a sua utilização em 3,4% durante o mesmo período. Outros grandes grupos de bens de consumo, como a Unilever, a Danone e a Nestlé, reduziram essa utilização.

Relacionados

Clima

Mais Clima

Patrocinados