Saiba tudo sobre o Euro aqui

Feira Nacional de Agricultura 2024: uma edição histórica e imperdível

conteúdo patrocinado
3 jun, 12:27
CNEMA

De 8 a 16 de junho, o Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), em Santarém, será palco de uma edição muito especial da Feira Nacional de Agricultura (FNA). Celebra-se o aniversário de 60 anos da FNA, os 30 anos do CNEMA e os 70 anos da Feira do Ribatejo. Conheça o programa e as surpresas que a feira deste ano promete.

Desde 1954 que, durante a Feira Nacional de Agricultura/Feira do Ribatejo, todos os caminhos vão dar a Santarém. A cidade ribatejana torna-se o centro do mundo agrícola, num evento que celebra um setor essencial à vida de todos com momentos culturais, exposições de maquinaria e gado e debates que dão voz às principais preocupações deste meio. Este ano, o maior evento de agricultura do país decorre de 8 a 16 de junho e já se antecipa uma edição inesquecível: celebram-se três aniversários muito especiais e por isso, além de largadas de touros, provas equestres, música popular, concertos de artistas de renome e um ciclo de conferências, o programa inclui ainda muitas novidades.

Em 2024, comemoram-se 70 anos da Feira do Ribatejo, 60 anos da FNA e 30 anos do CNEMA. São décadas de História e conquistas, que a organização quis celebrar oferecendo ao visitante uma viagem no tempo, logo à chegada. No átrio exterior da entrada principal do CNEMA, haverá uma exposição composta por fotografias, cartazes, anotações históricas e documentários, onde se recorda o inovador e resiliente percurso deste evento.

Pecuária extensiva em grande destaque na FNA 2024

Num evento que serve também para discutir os temas fraturantes do setor agrícola, o mote deste ano será a pecuária extensiva. Esta é uma atividade que ocupa 64% da superfície agrícola útil do território nacional. De acordo com administrador do CNEMA, Luís Mira, citado no site da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), “o objetivo da escolha deste tema é chamar a atenção dos cidadãos, dos políticos e do setor para a importância da pecuária extensiva, determinante na sustentabilidade do país e na preservação dos espaços rurais”.

Na pecuária extensiva, o gado ovino, caprino ou bovino é criado em grandes áreas, onde pasta livremente. A prática é considerada rentável pois o gado retira a maior parte dos nutrientes das pastagens. É também uma tendência sustentável e de largo impacto no setor agrícola do nosso país, com várias vantagens, como o apoio ao sistema agroflorestal, o incremento qualitativo dos produtos provenientes e derivados dos animais de pasto e a promoção e preservação do nosso património de raças autóctones.

O tema da pecuária extensiva estará em destaque em vários momentos da feira, como por exemplo com a presença de Associações de Raças Autóctones e de empresas ligadas à pecuária nos Claustros do CNEMA, local que partilham com a exposição do concurso de fotografia “Raças Animais  Autóctones de Portugal – conservar a biodiversidade”. Trata-se de uma competição promovida pelo Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P. (INIAV,I.P.), que recebeu quase seis centenas de imagens.

Nos seminários e debates que compõem as “Conversas de Agricultura”, haverá um Ciclo de Conferências dedicado à pecuária extensiva. Estarão também em discussão temas como “Recursos Genéticos Animais - Conservação e melhoramento genético”, “Desafios das primeiras semanas dos vitelos”, “Sequestro de carbono na produção animal extensiva”, e “Vias para uma agricultura extensiva sustentável”.

Uma edição repleta de novidades e surpresas

Demonstrando a preocupação do setor com a sustentabilidade, uma das novidades da feira deste ano é que a FNA, em parceria com a Repsol – parceira multienergética do certame –, contará com carros de serviço que serão abastecidos com combustíveis 100% renováveis, o que possibilitará uma otimização do consumo durante as viagens no evento e uma redução significativa da pegada de carbono, de até 90%. Para incentivar as práticas sustentáveis no recinto, será também instalada uma estação com painéis solares da Repsol, para carregamento de telefones. Haverá ainda um serviço de autocarros elétricos gratuitos, à disposição dos visitantes, graças a uma colaboração com a Rodoviária do Tejo. E vários ecopontos para a reciclagem de papel, vidro, plástico e embalagens de metal serão espalhados por todo o recinto, mantendo-se também a aposta nos copos recicláveis, por um valor fixo com retorno.
Outra das novidades deste ano é o espaço criança: exclusivamente dedicado aos mais novos, vai oferecer uma experiência única e interativa ao público infantojuvenil, com entretenimento e atividades educativas com foco na importância da agricultura, da alimentação e do equilíbrio do meio ambiente. Neste espaço, todos os dias haverá jogos, atividades sensoriais, espetáculos, workshops e muito mais.

No exterior da feira, os visitantes encontrarão um dos espaços mais procurados, por miúdos e graúdos: a exposição de raças autóctones de bovinos, equinos (com a presença de algumas das mais relevantes coudelarias nacionais), galinhas, caprinos, ovinos e suínos.
Imperdíveis serão também os espaços gastronómicos, de artesanato e a mostra de maquinaria. E claro, as tradições e os costumes do mundo rural estarão em grande destaque com música popular, ranchos folclóricos, mercados tradicionais, largadas de touros, desfiles, provas de campinos, condução de cabrestos e provas equestres. 

De 8 a 16 de junho, a diversão é garantida na FNA 2024 e os dias terminarão em grande com concertos de artistas de renome como os “Excesso”, no dia 8 de junho, “Os Quatro e Meia”, a 9 de junho, “Diogo Piçarra” e “DJ Padre Guilherme” a 14 de junho e “David Antunes e Convidados” a 15 de junho.

Um evento a não perder, onde mais uma vez se celebra a paixão pelo mundo rural e a agricultura, numa tradição que perdura há já 70 anos.