Contas: FC Porto teve de retirar mais-valias de negócios com o V. Guimarães

19 fev, 00:22
Francisco Ribeiro e Rafa Pereira (VSC/Montagem)

«Registo foi revertido na sequência das interações com a CMVM», explicam os dragões

A SAD do FC Porto explicou, em comunicado, que teve de alterar um aspecto importante em relação às contas apresentadas a 30 de junho. Nessa altura, os dragões contabilizaram mais-valias de 14,1 milhões de euros com a venda dos jovens Francisco Ribeiro (11 milhões, mais-valia de 10,33) e Rafael Pereira (4 milhões, mais-valia de 3,76 ao Vitória de Guimarães.

Porém, no mesmo período, o FC Porto comprou igualmente dois jovens ao clube minhoto (Romain Correia e João Mendes), avaliando o negócio pelos mesmos montantes. 

O auditor de contas apresentou desde logo reservas: «Não obtivemos a evidência de auditoria suficiente que nos permita concluir sobre a adequada valorização destas transações e consequente impacto nas demonstrações financeiras. (...) Estamos convictos de que a prova de auditoria que obtivemos é suficiente e apropriada para proporcionar uma base para a nossa opinião com reservas.»

Agora, os dragões informam que esse registo «revertido na sequência das interações com a CMVM».

«A Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD, na sequência de transações separadas de aquisição e alienação de “passes” desportivos de jogadores com a mesma contraparte, registou, nas suas contas com referência a 30 de junho de 2021, mais valias no montante de 14,1 milhões de euros (apresentadas na rubrica de “Proveitos com transações de passes de jogadores”) e ativos intangíveis no mesmo montante. Esse registo foi agora revertido na sequência das interações com a CMVM, não gerando essas operações qualquer mais-valia, tendo o Conselho de Administração da Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD procedido à reexpressão das contas anuais, em virtude de tais transações consubstanciarem uma troca de ativos, à luz das disposições dos parágrafos 45-48 da Norma Internacional de Contabilidade 38», diz a SAD portista.

Com esta alteração relevante, «as rubricas relacionadas com passes de jogadores tiveram um saldo líquido negativo, agora de 19.825m€, uma vez que as vendas de direitos desportivos de jogadores efetuadas neste 1º semestre foram valorizadas por montantes não relevantes, dado que a FC Porto – Futebol, SAD decidiu rever a política contabilística aplicável a transações de aquisição e alienação de direitos desportivos de jogadores com a mesma contraparte.»

Nota ainda para os Ativos intangíveis - Valor do plantel. Neste parâmetro, deixam de estar contabilizados os valores atribuídos a Romain Correia e João Mendes, que trocaram o V. Guimarães pelo FC Porto, representando atualmente a equipa B dos dragões.

«Os montantes líquidos que incluem o efeito da atualização financeira de 11,3 milhões de euros e 2,8 milhões de euros relativos respetivamente à aquisição dos jogadores Romain Correia e João Mendes foram desreconhecidos com referência ao período findo em 30 de junho de 2021», explica a SAD do FC Porto, no Relatório e Contas Consolidado.

Relacionados

Patrocinados