Putin dá cidadania russa a Snowden - mas o denunciante não vai combater na guerra

26 set, 18:08
Edward Snowden

Edward Snowden já estava a residir no país desde 2020 após fugir dos Estados Unidos depois de ter exposto documentos confidenciais da Agência de Segurança Nacional dos EUA

O presidente da Federação Russa, Vladimir Putin, concedeu nacionalidade a Edward Snowden, o analista por trás da fuga de dados confidenciais sobre os sistemas de vigilância da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA).

A informação está a ser avançada pela agência AFP. Para além disto, Snowden já tinha residência permanente na Rússia desde outubro de 2020.

Snowden, de 39 anos, fugiu dos Estados Unidos e obteve asilo na Rússia em 2013 após ter revelado operações vastas de vigilância doméstica e internacional pela NSA, onde trabalhava.

As autoridades norte-americanas estão, desde essa altura, a tentar fazer com que Snowden retorne aos Estados Unidos para enfrentar um processo ligado a crimes de espionagem. 

O advogado de Snowden, Anatoly Kucherena, disse à agência noticiosa estatal russa RIA Novosti que a sua esposa Lindsay Mills iria agora também requerer cidadania russa e que a sua filha já tinha um passaporte russo, tendo nascido no país.

Esta decisão ocorre poucos dias depois de Putin ter anunciado, na semana passada, uma mobilização de homens russos para contribuir para a guerra na Ucrânia, mas Kucherena disse que Snowden não seria chamado a servir, uma vez que não tinha experiência anterior no exército russo.

Entretanto, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse às agências noticiosas que Snowden tinha recebido a cidadania russa como resultado do seu próprio pedido.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Mais Lidas

Patrocinados