Queda deixa Guerreiro sem pele: «Desistir não está no meu vocabulário»

3 jul, 10:39
Ruben Guerreiro (instagram)

Ciclista português viu-se envolvido numa queda na segunda etapa do Tour e caiu para o último lugar da geral

A segunda etapa da Volta a França não foi nada fácil para Ruben Guerreiro, para não dizer pior.

Além do «arrufo» que teve com Stefan Kung, o ciclista português viu-se envolvido numa queda a 18 quilómetros da meta, a qual também vitimou o até então camisola amarela, Yves Lampaert.

«Caí nos primeiros quilómetros da ponte [do Grande Belt]. Quando tentava sair daquela confusão toda pelo lado esquerdo, o ciclista da TotalEnergies travou à minha frente e não pude evitar o toque com a sua roda traseira e acabei por cair», contou, à Lusa.

Inicialmente, Guerreiro ficou com o mesmo tempo do vencedor da etapa, Fabio Jakobsen, mas acabou depois despromovido para o último lugar da geral, isto porque o colégio de comissários da Volta a França decidiu contabilizar os mais de 11 minutos que o atleta da EF Education-EasyPost perdeu na meta.

Mas as más notícias não ficam por aqui.

Ruben Guerreiro não partiu nada, mas diz que tem parte do corpo sem pele. Desistir, no entanto, não é opção.

«Não parti nada, mas o lado esquerdo do corpo está sem pele, não passei muito bem a noite e agora vou seguir neste Tour um dia de cada vez. Desistir é palavra que não está no meu vocabulário», garantiu, ele que nas redes sociais publicou uma fotografia a mostrar as marcas da queda.

Ainda assim, o desportista luso desvaloriza o facto de ser lanterna-vermelha: «É sinal que ainda estou na corrida e isso é o mais importante.»

A Volta a França prossegue este domingo, com a última etapa na Dinamarca, numa ligação de 182 quilómetros entre Vejle e Sonderborg.

Relacionados

Patrocinados