No meio da tensão com a China, um crachá com caricatura de Xi Jinping faz sucesso em Taiwan

11 abr 2023, 17:49
Crachás de Taiwan (Getty Images)

Exercícios militares de Pequim em torno da ilha não demoveram o espírito dos seus habitantes

A China e o território de Taiwan vivem dias de grande tensão. Como resposta a uma visita da presidente taiwanesa Tsai Ing-wen aos Estados Unidos, onde se encontrou com o presidente da Câmara dos Representantes, Kevin McCarthy, Pequim realizou exercícios militares de simulação de um cerco à ilha.

No entanto, esta operação, que teve lugar entre sábado e segunda-feira, não demoveu o espírito dos habitantes do território, que encontraram uma forma engraçada de expressar o seu desdém pelo presidente chinês.

Os crachás na fotografia de capa começaram por ser usados pelos pilotos da Força Aérea Taiwanesa, mas rapidamente se tornaram virais entre a população local. Nestes emblemas, um urso pardo da Formosa, animal nativo da ilha e símbolo da nação, é visto a dar um murro no Winnie the Pooh, com as palavras “Scramble!” (Preparem-se para descolar!) e “We are open 24/7” (Estamos abertos 24 horas por dia, sete dias por semana) a ladear as duas caricaturas.

Onde entra Xi Jinping no meio disto tudo? A história remonta a 2013, aquando de uma visita do presidente chinês aos Estados Unidos. Alguns utilizadores da internet na China começaram a comparar Xi Jinping a Winnie the Pooh, notando parecenças entre o líder do Partido Comunista Chinês e a personagem de desenho animado.

A piada foi-se popularizando e o presidente chinês passou a ser representado pelo Winnie the Pooh em diversos memes, populares na China e um pouco por todo o mundo.

Quem não achou graça foi o governo de Pequim, que em 2018 proibiu a exibição do filme Christopher Robin, uma adaptação ao cinema da história do pequeno urso, da autoria de Alan Alexander Milne.

Antes, em 2015, a imagem mais censurada na China foi uma comparação entre Xi, num carro descapotável durante um desfile militar, e um brinquedo do Winnie The Pooh. De acordo com a Global Risk Insights, num relatório de 2016, a China considera este meme um “um esforço sério para minar a dignidade do gabinete presidencial e do próprio Xi".

A imagem mais censurada na China em 2015

"Os regimes autoritários são muitas vezes sensíveis, mas esta reação é confusa uma vez que o governo está efetivamente a esmagar uma campanha de imagem pública potencialmente positiva, e orgânica, para Xi. A reação de Pequim é duplamente estranha dado o facto de Xi ter realizado esforços substanciais para criar um culto de personalidade que o mostre como um governante benevolente”, pode ler-se no documento.

Ainda assim, a piada popularizou-se no resto do mundo, como provam estes crachás. “Queria dar moral às nossas tropas ao desenhá-los”, disse Alec Hsu, autor dos mesmos, à CNN Internacional. Desde a publicação, por parte do Ministério da Defesa de Taiwan, de imagens e vídeos de soldados a usar estes crachás, as encomendas da Wings Fan Goods Shop, que os produz, dispararam. Os crachás foram colocados à venda por 200 dólares taiwaneses, cerca de seis euros, mas estão esgotados de momento.

Relacionados

Ásia

Mais Ásia

Mais Lidas

Patrocinados