Saiba tudo sobre o Euro aqui

Filipinas avisam que China está a um passo de começar uma guerra na Ásia

31 mai, 18:16
Barcos chineses disparam canhões de água contra barco filipino (Guarda Costeira das Filipinas)

Aumento das tensões e provocações no Mar do Sul da China deixa a situação perto de uma linha vermelha

O presidente das Filipinas alertou para um espiral que pode termina rem guerra com a China, depois de recentes ações do exército chinês terem escalado a situação nas águas partilhadas pelos dois países.

Ferdinand Marcos Jr. afirmou que, caso os recentes confrontos com a guarda costeira chinesa na costa filipina continuem, isso pode mesmo terminar numa guerra, sobretudo se desses combates resultar a morte de um cidadão filipino.

Questionado sobre a forma como o governo das Filipinas vai reagir num cenário desses, Ferdinand Marcos Jr. foi claro “Não apenas um military. Se um cidadão filipino for morto num ato deliberado, isso está muito perto daquilo que definimos como ato de guerra. Se é uma llinha vermelha? Quase de Certeza”.

Palavras à margem de um fórum internacional de defesa que se realizou em Singapura, e no qual os Estados Unidos, que mantêm um tratado de defesa mútua com as Filipinas, prometeram cumprir os “mesmos parâmetros”.

Em causa não está apenas uma guerra entre o principal rival dos Estados Unidos e as Filipinas. Está também o envolvimento dos próprios Estados Unidos numa guerra na Ásia. É que o tratado assinado em 1951 prevê a possibilidade de Manila pedir a Washington DC apoio military em caso de ataque chinês.

Um cenário que parece ganhar força, à luz das palavras de Ferdinand Marcos Jr. Tudo isto conjugado com uma tensão que cresce desde agosto de 2023, quando a guarda costeira chinesa começou, com recorrência, a disparar canhões de água contra navios filipinos que abasteciam as posições do exército numa zona disputada por ambos os países no Mar do Sul da China.

Em alguns desses casos foram danificados navios e até alguns marinheiros filipinos ficaram feridos. “Já tivemos vítimas, mas graças a Deus que não a esse ponto [de morto]. Quando chegarmos a esse ponto cruzámos uma linha sem retorno”, sublinhou Ferdinand Marcos Jr.

Um dos pontos mais tensos é o Sierra Madre, os destroços de um antigo navio norte-americano que se situam num banco de areia em águas disputadas. Ali estão estacionados vários militares filipinos, mas a China faz constantes aproximações a um território que diz ser seu.

No fórum Shangri-La Ferdinand Marcos Jr. quis deixar bem claro que as Filipinas defendem o seu espaço, mas também a segurança e interesse de outras nações naquela região.

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados