O maior confinamento da pandemia em Xangai já está a gerar o pânico nos supermercados

CNN Portugal , com Lusa
28 mar, 23:14
As ruas das cidades são um retrato do "medo" do desconhecido

Milhares de residentes da maior cidade chinesa procuraram acumular bens para o período de nove dias

A implementação de um novo confinamento em Xangai, por causa de um surto de covid-19, levou milhares de habitantes da cidade a uma corrida aos supermercados, gerando longas filas e esvaziando completamente as prateleiras.

As imagens e vídeos nas redes sociais mostram multidões em várias lojas e algumas pessoas a lutar pela última unidade de um produto. Este é o maior confinamento que a China decretou desde o início da pandemia e durará, pelo menos, nove dias.

Xangai, a maior cidade chinesa, com 25 milhões de habitantes, está desde esta segunda-feira sujeita a um confinamento dividido por setores.

Milhões de habitantes em várias regiões da China estão sujeitos a confinamentos, nomeadamente na cidade industrial de Shenyang (nordeste), capital da província de Liaoning, que faz fronteira com Jilin, a mais afetada pela recente vaga da pandemia.

A comissão nacional da saúde chinesa contabilizou esta segunda-feira 1.275 novas infeções, incluindo 50 em Xangai e 1.086 em Jilin.

Apesar de os números atuais da difusão do vírus serem muito baixos em comparação com outros países do mundo, são os mais altos na China desde as primeiras semanas da pandemia, que começou em Wuhan no final do ano de 2019.

De acordo com os números oficiais, desde o início da pandemia, 144.515 pessoas foram infetadas no país, entre as quais 4.638 morreram.

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados