Autoridades brasileiras confirmam 38 mortes provocadas pela chuva no sul do país

Agência Lusa , PF
3 mai, 18:14
Cheias em São Sebastião do Cai, Rio Grande do Sul, Brasil, 2 de maio de 2024 (AP/Carlos Macedo)

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul contabilizou também 74 feridos e 74 pessoas desaparecidas

As autoridades brasileiras confirmaram esta sexta-feira que as chuvas que afetam a região sul do país já provocaram 38 mortes, além de deixarem um rastro de destruição em centenas de cidades em dois estados do país.

No Rio Grande do Sul, estado brasileiro mais afetado pelas tempestades, a Defesa Civil local confirmou 37 mortes num balanço atualizado ao início da tarde. O anterior balanço apontava para 31 mortos.

Uma vítima mortal foi registada em Santa Catarina na manhã desta sexta-feira, outro estado da região sul do Brasil.

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul contabilizou 74 feridos e 74 pessoas desaparecidas. O mesmo órgão indicou que cerca de 23.598 pessoas estão desalojadas e que há outras 7.949 pessoas alojadas em abrigos.

Ao todo, 235 dos 496 municípios do Rio Grande do Sul registaram algum tipo de problema, que afetou pelo menos 351.639 pessoas.

O governo regional do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, decretou na noite de quarta-feira estado de calamidade pública por um período de 180 dias.

Em Santa Catarina, três cidades já decretaram situação de emergência e, segundo a defesa Civil local, 33 municípios registaram ocorrências devido à chuva.

O Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, visitou quinta-feira a região afetada com vários de seus ministros e prometeu que não faltarão recursos para atender às necessidades básicas da população.

Eduardo Leite garantiu durante o encontro com o Presidente que o foco neste momento deve ser o resgate de pessoas, algumas das quais tiveram de subir para os telhados das suas casas para se salvarem. 

As tempestades no sul do Brasil têm destruído estradas e pontes, provocando desabamentos e alagamentos desde a última terça-feira. A previsão é de que os temporais vão continuar no fim de semana.

O estado mais ao sul do Brasil tem sido bastante afetado pelas mudanças climáticas. Depois de sofrer problemas com uma forte seca em razão do fenómeno La Niña, no ano passado a região passou a ser afetada pelo El Niño e registou em menos de 12 meses quatro desastres climáticos causados por ciclones extratropicais e tempestades. Em 2023, três eventos ocorreram em junho, setembro e novembro, causando 75 mortos.

O Rio Grande do Sul, com uma população de 11 milhões de pessoas, tem sido atingido repetidamente no último ano pelo fenómeno climático El Niño, que provoca fortes chuvas no sul do país.

Em setembro, eventos climáticos extremos causaram 54 mortes na região.

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados