Chega saúda "viragem à direita" em Itália e antevê "ventos de mudança" em Portugal

Agência Lusa , PP
26 set, 00:08
André Ventura (Mário Cruz/Lusa)

Posição do partido foi divulgada através de um comunicado

O Chega saudou a “viragem à direita" da Itália e considerou que os resultados das eleições legislativas de hoje neste país abrem caminho a “uma reconfiguração política da Europa”, prevendo que também tenham consequências em Portugal.

“Estamos seguros de que estes ventos de mudança irão chegar a Portugal e que também os portugueses terão direito a virar a página e eleger quem seja capaz de defender os seus interesses”, salienta o partido de extrema-direita português, em comunicado.

O Chega congratula-se, em especial, “com a votação obtida pelos seus congéneres europeus, liderados por Giorgia Meloni e Matteo Salvini”.

“Os resultados obtidos por Giorgia Meloni e Matteo Salvini nas eleições italianas abrem caminho a uma verdadeira mudança de políticas em Itália e, ao mesmo tempo, a uma reconfiguração política da Europa”, sublinha o Chega.

O partido liderado por André Ventura refere que, depois da Suécia – onde também se registou uma vitória de uma coligação da direita e extrema-direita nas eleições legislativas de 11 de setembro -, “é agora a vez de a Itália dar mais um sinal claro de que o Continente europeu está em profunda mudança”.

“Os eleitores confiam cada vez mais nos partidos que defendem, sem reservas, a soberania dos seus povos, as suas tradições e valores civilizacionais, como é o caso do Chega em Portugal”, defendem.

O partido felicita “com grande entusiasmo” Giorgia Meloni e Matteo Salvini pelos resultados obtidos e manifesta a esperança de que “consigam rapidamente formar governo e dar aos italianos uma solução governativa forte, estável e capaz de enfrentar os tempos duros que se avizinham”.

O Chega já convocou para segunda-feira uma conferência de imprensa com o presidente do partido, André Ventura, para abordar estes resultados, entre outros temas.

A coligação de direita e extrema-direita, liderada pelo partido Irmãos de Itália, pode obter entre 41% a 45% dos votos nas legislativas de hoje em Itália, segundo as sondagens à boca das urnas.

Europa

Mais Europa

Patrocinados