Champions: Eintracht Frankfurt-Sporting, 0-3 (destaques)

7 set, 20:27

Edwards a decidir num palco em que já tinha sido feliz

FIGURA: Marcus Edwards

Um golo e uma assistência do inglês, num palco em que já tinha sido decisivo pelo V. Guimarães em 2019. O extremo dos leões foi dos melhores da equipa na primeira parte, período em que teve a melhor ocasião, negada por Trapp, aparecendo já após a hora de jogo para ser fundamental na entrada de leão na Champions. Abriu o marcador aos 65 minutos e, pouco depois, aos 67, assistiu Trincão para o segundo golo dos leões. Jogou e fez jogar, combinou bem com Porro várias vezes e deu ao Sporting alguma capacidade de ter bola e de criar desequilíbrio na frente.

MOMENTO: lição de como sair a jogar para trincar a vitória (67m)

O Sporting deu um enorme salto para a primeira vitória em solo alemão aos 67 minutos, ainda a euforia pairava com o golo de Marcus Edwards, pouco antes. O lance é uma verdadeira lição de como sair a jogar e desmontar o adversário rapidamente. Adán tocou longo para o meio-campo, Trincão deu de primeira para Morita que, de frente para o jogo, lançou Pedro Gonçalves para este dar em Edwards e o inglês esperar a entrada de Trincão para o remate final. Jogada tremenda, na estreia do ex-Sp. Braga a marcar pela equipa de Ruben Amorim em jogos oficiais.

OUTROS DESTAQUES

Coates: exibição praticamente irrepreensível na defesa dos leões. Pautou várias vezes a saída de jogo da equipa, sobretudo na primeira parte, quando o Sporting entrou contido e a tentar impor um ritmo de jogo mais calmo face ao que o Eintracht podia fazer. Compensou a defensiva em alguns erros próprios e também assinou outros cortes de bola importantes, quer em lances pelo ar, quer em disputas junto à relva. Só teve um pequeno erro a abrir a segunda parte, quando uma perda para Gotze quase deu golo de Kamada, com o recém-entrado Luís Neto a salvar.

Pedro Porro: exibição ao nível de Champions do lateral espanhol. Tentou subir no terreno várias vezes na primeira parte para dar algum jogo ofensivo à equipa, foi cumprindo defensivamente e sobressaiu na segunda parte, sobretudo no lance do último golo. Investiu pela direita, tirou dois adversários do caminho e fez um cruzamento com tudo a que Nuno Santos tinha direito, para o 0-3 final no marcador.

Adán: não foi perfeito porque também se pôs a jeito ao entregar uma bola a Lindstrom aos 16 minutos, mas foi fundamental para o leão. Experiência? Eficácia? Serenidade? Reflexos? Um pouco de tudo, como provaram as várias intervenções ao longo do jogo.

Lindstrom: foi dos principais agitadores de jogo ofensivo do Eintracht na primeira parte, mas não conseguiu tirar melhor proveito dos espaços e das oportunidades que teve para visar a baliza de Antonio Adán.

Ugarte: inicialmente com algumas dificuldades para tentar ligar jogo para a frente, o uruguaio foi importantíssimo e determinante ao longo do jogo, sobretudo no capítulo defensivo. Travou vários duelos intensos e aguerridos com os homens do Eintracht e foi subindo de rendimento na segunda parte, para dar mais ligação.

Trincão: apagado na primeira hora de jogo, acabou por ser fulcral ao aparecer para dobrar a vantagem do Sporting, numa jogada sublime que o próprio desencadeou, no momento em que solta de imediato para Morita, após o passe de Adán. Primeiro golo pelos leões e logo na montra dos milhões.

(Imagens vídeo Eleven Sports)

Relacionados

Champions

Mais Champions

Patrocinados