Ajax: do duelo Eusébio-Cruyff a um nome de má memória no Benfica

13 dez 2021, 15:08
Benfica-Ajax em 2018: Rafa Silva e Dusan Tadic (AP)
Benfica-Ajax em 2018: Rafa Silva e Dusan Tadic (AP)

Neerlandeses têm histórico favorável com as águias e voltam a Lisboa esta época, depois de golearem o Sporting. Duelo importante até na perspetiva do ranking da UEFA

PUB

Cerca de 53 anos depois do primeiro encontro oficial entre Benfica e Ajax, que colocou frente a frente Eusébio e Johan Cruyff numa célebre eliminatória da Taça dos Campeões apenas decidida em três jogos, águias e neerlandeses voltam a encontrar-se na Europa do futebol em fevereiro de 2022.

Assim ditou a repetição do sorteio dos oitavos de final da Liga dos Campeões, depois de o sorteio original ter sido anulado por erros da UEFA (o Benfica ia jogar contra o Real Madrid, o Ajax com o Inter Milão).

PUB

O duelo entre os dois clubes encontra na história sete episódios. Prepara-se para um oitavo, na Luz. Um nono, em Amesterdão.

E o olhar do Benfica para o passado é o de quem não tem grandes recordações de um Ajax que é o atual campeão do seu país e que acabou de mostrar poderio europeu na fase de grupos da Liga dos Campeões, ao tornar-se a primeira equipa neerlandesa na história a fazer o pleno de seis vitórias. O de uma equipa, comandada por Erik Ten Hag, que já goleou o Sporting em Alvalade esta temporada (1-5) e venceu os leões em casa, por 4-2. Melhor exemplo (e aviso) era difícil para Jorge Jesus e companhia.

PUB
PUB
PUB

Dos sete encontros entre as duas equipas, o Ajax venceu quatro, o Benfica um – e logo o primeiro – e houve dois empates.

Em 1969, nos quartos de final da Taça dos Campeões Europeus, o Benfica de Otto Glória venceu em Amesterdão o Ajax de Rinus Michels, por 3-1, mas sofreu derrota por iguais números em Lisboa e a eliminatória acabou decidida num tira-teimas em Colombes, França, com vitória do Ajax por 3-0.

Novo encontro aconteceu três anos depois, em 1972 e na mesma competição, com… o mesmo desfecho: nas meias-finais, o Ajax venceu o Benfica de Jimmy Hagan em casa por 1-0 e houve nulo na Luz, que valeu a passagem dos neerlandeses, numa época de título europeu: venceram o Inter de Milão na final, por 2-0.

Da história mais recente constam os dois encontros na fase de grupos da Liga dos Campeões de 2018/2019, época em que o Ajax surpreendeu a Europa do futebol e só não chegou à final da competição devido a uma reviravolta épica do Tottenham em Amesterdão. Erik ten Hag já comandava o Ajax e levou a melhor em casa sobre o Benfica de Rui Vitória, por 1-0, tendo havido empate a uma bola na Luz.

PUB
PUB
PUB

Tadic, Antony, o goleador Haller… e o ranking

O Ajax de 2021/22 não é presa nada fácil para a águia, que vai ter pela frente um conjunto sólido, que teve o segundo melhor ataque na fase de grupos (20 golos marcados) e tem o melhor marcador da competição neste momento: Sébastien Haller, com dez golos. Um nome que igualou, com a sua prestação na fase de grupos, algo que só Cristiano Ronaldo tinha feito até então na história da competição.

Tem também nomes como Dusan Tadic, Daley Blind, Nicolás Tagliafico ou David Neres – que já tinham jogado contra o Benfica há cerca de três anos – mas também um puro talento brasileiro (outro), chamado Antony… e muito mais: Ryan Gravenberch, Steven Berghuis, Edson Álvarez ou Perr Schuurs (este visto por muitos como o sucessor de Matthijs de Ligt). Um plantel com qualidade de sobra.

Além disto, o Benfica-Ajax encerra outra questão importante, não só para os encarnados, mas também para Portugal, que luta para defender-se dos Países Baixos na sexta posição do ranking UEFA.

PUB
PUB
PUB

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Champions

Mais Champions

Patrocinados