Há casas flutuantes a serem construídas neste preciso momento

CNN , Tamara Hardingham-Gill
20 ago, 18:00
Casas futuristas (CNN)

Casas flutuantes, vida de luxo e tecnologia de casas inteligentes não são necessariamente coisas que tendem a andar de mãos dadas.

Mas a Ocean Builders, uma empresa sediada no Panamá especializada em tecnologia marinha inovadora, acaba de revelar uma frota de "cápsulas para habitação revolucionárias" que conseguem juntar as três vertentes.

Descritas como "as primeiras casas ecorrestauradoras do mundo", as cápsulas, que variam entre 295 mil e 1,5 milhões de dólares (ligeiramente menos em euros), estão atualmente em construção na Marina de Linton Bay, na costa norte do Panamá.

Projetadas pelo arquiteto holandês Koen Olthuis e pela sua equipa na Waterstudio, os três modelos disponíveis incluem o emblemático SeaPod, concebido para a vida aquática, o GreenPod, concebido para uso em terra, e o EcoPod, uma opção ecológica e economicamente sustentável.

Estrutura elevada

Uma renderização do Seapod, um dos três próximos modelos de cápsula da empresa sediada no Panamá Ocean Builders (Ocean Builders)

O Seapod foi idealizado por Rüdiger Koch, diretor de engenharia da Ocean Builders, juntamente com o diretor executivo Grant Romundt, como solução para a falta de espaço em destinos de praia populares.

A estrutura elevada tem 833 pés quadrados (73 m2) de espaço útil, incluindo um quarto principal, sala, cozinha e casa de banho, distribuídos por três níveis e meio.

Com espaço para duas pessoas, a unidade utiliza mais de 47,7 metros cúbicos de tubos de aço cheios de ar para flutuar 2,2 metros acima das ondas, e contém 53,4 m2 de janelas panorâmicas e vistas de mar de 360 graus.

Romundt espera que o design desafie a perceção de casas e viagens, e que permita que os residentes vivam na água sem terem de fazer sacrifícios quando se trata dos "luxos da vida moderna".

"Normalmente, quando se vive na água, é num barco que tem uma situação
habitacional inaceitável para a maioria das pessoas", diz Romundt à CNN Travel.

"Assim, desenhámos uma casa que flutua sobre a água que confere uma experiência de vida em terra, mas mais do que isso."

As cápsulas serão equipadas com tecnologia de ponta, com aplicações personalizáveis que adaptam o design e a funcionalidade para se adequarem aos seus habitantes.

Casas futuristas

A estrutura elevada foi projetada pelo arquiteto holandês Koen Olthuis e pela equipa Waterstudio (Ocean Builders)

Entretanto, os "anéis inteligentes" especiais usados pelos residentes permitir-lhes-ão destrancar portas e ligar a música com um aceno de mão.

"Se a Apple tivesse construído uma casa, acho que acabaria por criar o SeaPod, ou o GreenPod, ou o EcoPod", diz Romundt. "Há muita tecnologia incorporada nas casas.”

"Gosto de pensar nisso como, em vez de ter um telefone como assistente digital, a nossa casa torna-se de facto a nossa assistente, e podemos usá-la para otimizar a nossa vida."

As cápsulas estarão inicialmente localizadas numa área próxima da Marina de Linton Bay. No entanto, a equipa da Ocean Builders espera poder distribuí-las a nível internacional, uma vez que estão confiantes de que a tecnologia pode ser usada noutros locais.

Defensor de longa data da vida à beira-mar, Romundt viveu numa casa flutuante em Toronto, e diz que é um estilo de vida como há poucos.

"Há algo de mágico no facto de nos levantarmos de manhã, descermos as escadas, saltarmos para uma prancha de paddle e irmos treinar", explica.

Drones de entrega

As unidades estão atualmente em construção no Panamá, com vendas a serem lançadas online ainda este ano (Ocean Builders)

"É muito calmo e belo. A maioria das pessoas passa o ano a sonhar com as férias de duas semanas em que vão para uma ilha tropical conviver, descontrair, regenerar-se e restaurar-se."

"Então, porque não viver assim todo o ano? É muito fácil trabalhar a partir de casa atualmente."

Quem opta por viver numa destas unidades específicas provavelmente precisará de ter algum pendor para a aventura, bem como o gosto pela água, mas Romundt diz que a equipa não tem necessariamente um tipo específico de cliente em mente.

Na verdade, ele está confiante que a maioria daqueles que experimentam o Seapod por uns minutos deverá decidir possuir um.

"Quando eu vivia na minha casa flutuante em Toronto, todas as pessoas que me foram visitar apaixonaram-se pelo espaço", conta.

"Assim, tudo o que preciso de fazer é levar as pessoas a entrarem num Seapod durante cinco minutos. A experiência vai surpreender. É realmente incrível."

Mas e os aspetos práticos como comprar mantimentos, bem como viajar de um lado para o outro da cápsula para terra?

Segundo Romundt, devem ser usados drones personalizados para entregar bens como alimentos e medicamentos, bem como "produtos menores do dia a dia".

Para entregas maiores, há uma embarcação autónoma separada, que também funcionará como embarcação de reciclagem oceânica, recolhendo lixo e detritos para manter a área circundante limpa.

"Casas ecorrestauradoras"

As cápsulas devem ser "construídas e geridas em harmonia com a área circundante (Ocean Builders)

Residentes e visitantes podem ser transportados de e para o SeaPod através de barcos, jet skis, táxis aquáticos locais e/ou os seus próprios barcos ou embarcações.

E embora pareçam estar direcionadas para quem tem uma abordagem mais minimalista, há uma área de armazenamento de 116 m2.

Centradas na sustentabilidade, as cápsulas foram concebidas "para beneficiar o ambiente envolvente" e proporcionar "um habitat natural para a vida marinha ocupar e prosperar".

"Estamos a tentar construir e desenhar uma casa que seja boa para o ambiente, e que não prejudique o ambiente", explica Romundt.

"E estamos sempre a tentar inovar e encontrar formas de fazê-lo melhor. Não atingimos a perfeição neste momento, mas estamos a tentar melhorar cada vez mais."

As primeiras cápsulas concluídas serão lançadas online no fim de setembro, e os potenciais compradores poderão ir vê-las por si mesmos logo a seguir.

"As pessoas tentam comprá-las há anos", diz Romundt, explicando que a equipa da Ocean Builders decidiu não fazer contratos de compra e venda até que os compradores pudessem ver realmente as cápsulas.

"Empreendimento gigantesco"

O SeaPod tem 833 pés quadrados (73 m2) distribuídos por três níveis e meio (Ocean Builders)

"Isto é algo tão novo. E há tantos projetos imobiliários em que as pessoas investem que nunca acontecem."

"Não queríamos aceitar promessas de compra até que as pessoas pudessem entrar numa cápsula. Por isso, estou entusiasmado por estarmos finalmente nessa fase."

"Este é um empreendimento gigantesco. Queria tê-lo feito há dois anos. Mas tê-lo feito em apenas três anos e meio é espantoso."

As Seapods estão entre uma série de novos conceitos de casas flutuantes definidos para lançar nos próximos anos, incluindo o Cavalo Marinho Flutuante, um conceito do Grupo Kleindienst composto por 131 moradias flutuantes que vai fazer parte da enorme estância de 5 mil milhões de dólares, The Heart of Europe project no arquipélago artificial The World (O Mundo) ao largo da costa do Dubai.

Quem conseguir comprar uma das primeiras cápsulas da Ocean Builders poderá mudar-se até ao fim de 2023, se tudo correr como planeado.

A produção de mais 1000 cápsulas deverá arrancar até 2024.

Relacionados

Tendências

Mais Tendências

Na SELFIE

Patrocinados