Há novidades sobre os portugueses suspeitos de triplo homicídio em Bragança e que foram detidos em Espanha após onda de assaltos: o ponto da situação

Agência Lusa , FMC
16 ago, 16:23
Sidney Martins e Nélida Guerreiro (Guardia Civil)

Trata-se de um homem de 42 anos e de uma mulher de 40

O casal português detido em Zamora por suspeita de uma onda de assaltos à mão armada em postos de abastecimento em Espanha e Portugal, além de outros crimes, foram esta terça-feira presentes a tribunal em Madrid, noticia a Efe.

Os detidos, um homem de 42 anos e uma mulher de 40 anos, conhecidos como os "Bonnie & Clyde” portugueses, foram presentes ao tribunal – Audiência Nacional, com sede em Madrid - na sequência do mandado de busca e detenção emitido por Portugal.

Agentes da polícia espanhola e o subdelegado do Governo em Zamora, Angel Blanco, revelaram esta terça-feira em conferência de imprensa que o casal foi transferido esta terça-feira da Esquadra Provincial de Zamora da Polícia Nacional para Madrid.

Na Audiência Nacional está a ser tratado o despacho internacional emitido pela Interpol pelos assaltos cometidos em Portugal, um despacho que, em princípio, não inclui o triplo homicídio em Bragança, um crime de que também são suspeitos.

Os detidos assaltaram alegadamente nas últimas semanas postos de abastecimento e estabelecimentos comerciais espanhóis, em Sevilha, Badajoz e Toledo, na maioria dos casos com o mesmo "modus operandi", intimidando os funcionários com uma arma e com uma faca.

O casal também é suspeito de ter roubado um veículo com ameaça de arma, na passada quarta-feira, no distrito madrileno de Moncloa.

Em Espanha, a Polícia Nacional atribui-lhes um assalto à mão armada num posto de gasolina em Badajoz e o roubo também com violência e intimidação do veículo em Madrid, refere a agência de notícias Efe.

A Guarda Civil instruiu ainda processos por outros assaltos nas províncias de Sevilha, Badajoz e Toledo cometidos desde o dia 28 de julho, quando o casal de fugitivos atravessou a fronteira de Ayamonte depois de ter assaltado outro posto de combustível em Faro (Portugal) e ter cometido anteriormente outros três roubos no Algarve.

Espera-se que esta terça-feira os magistrados do tribunal registem declarações dos detidos antes de decidirem se vão ordenar o seu regresso à prisão pelos crimes pelos quais são procurados em Portugal.

Relacionados

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados