Gonçalo Santos: «Sou amigo de Marco Silva, mas não há convite»

11 mai, 16:23
Gonçalo Santos, treinador do Casa Pia (MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA)

Treinador do Casa Pia esclarece que, apesar da amizade com o homólogo do Fulham, ainda não surgiram conversações para deixar os «Gansos»

Gonçalo Santos aponta a uma versão «mais ofensiva e audaz» do Casa Pia. Esta foi a principal mensagem do treinador dos «Gansos» na antevisão à receção ao Moreirense, da 33.ª jornada da Liga.

«A manutenção garantida traz mais tranquilidade e qualidade de jogo. Esta equipa tem vindo a evoluir, a nível ofensivo e defensivo. Conseguimos marcar seis golos nos últimos dois jogos, mas, em grande parte da época, não conseguimos fazer golos. É um estilo de jogo ofensivo e audaz que traduz mais a nossa ideia de jogo, a controlar e virados para o ataque», começou por explicar, em conferência de imprensa, este sábado.

Gonçalo Santos surpreendeu na última ronda, ao apostar num ataque móvel em Braga (4-3). E aproveitou o desafio deste domingo para elogiar Rui Borges.

«O Moreirense é, talvez, a equipa sensação do campeonato, ao nível do Arouca. Esteve sempre muito mais tranquilo na tabela. Baixa um terceiro médio e sempre com muito jogo de corredor, com muita gente a jogar por fora. É uma equipa muito compacta, confortável e estável nessa ideia de jogo. Muito mérito do Rui Borges pelo que obteve», analisou.

Na temporada de regresso à Liga, em 2022/23, o Casa Pia conseguiu 41 pontos, uma pontuação que ainda pode replicar este ano, em caso de dois triunfos nas duas derradeiras jornadas.

“Temos a manutenção garantida e confio em todos. Todos foram utilizados antes de a garantirmos e agora vão jogar alguns que não têm sido opção no ‘onze’ inicial, mas não por uma questão de dar prendas ou de valorizá-los. Vão entrar os que entendo que são os melhores para o jogo, com pensamento de lhes dar uma oportunidade extra”, disse.

Questionado sobre o interesse de Marco Silva, treinador do Fulham, em contar com Gonçalo Santos para colmatar a saída de Luís Boa Morte, que vai assumir a seleção da Guiné-Bissau na próxima época, o timoneiro dos «Gansos» diz-se feliz.

«O Marco Silva foi meu treinador no Estoril, onde fizemos história. Somos amigos desde então e temos uma relação muito próxima. No entanto, não existe qualquer convite.Estou muito feliz no Casa Pia e concentrado nos últimos dois jogos. Têm havido conversas internas sobre a próxima época e é só nisso que nos focamos», esclareceu.

O Casa Pia, 11.º classificado, com 35 pontos, recebe o Moreirense (6.º), com 49 pontos. O jogo arranca pelas 18h deste domingo, no Estádio Municipal de Rio Maior. Ao leme da equipa de arbitragem estará José Bessa.

A emoção é para seguir, ao minuto, no Maisfutebol.

Relacionados

Patrocinados