"Um mano" ou "uma viagem de avião com a avó": CTT já começaram a receber cartas para o Pai Natal e garantem resposta a todas

12 dez 2021, 16:00
CTT esperam receber, este ano, cerca de 160 mil cartas dirigidas ao Pai Natal
CTT esperam receber, este ano, cerca de 160 mil cartas dirigidas ao Pai Natal

A iniciativa, que começou na década de 80, pretende envolver as crianças na "magia" do Natal e conta com uma equipa de ajudantes do Pai Natal que se esforça por responder a todas as cartas que lhes são entregues todos os anos

PUB

Os CTT - Correios de Portugal já começaram a receber cartas escritas por várias crianças de todo o país dirigidas ao Pai Natal, que lhes são entregues "de forma espontânea". Este ano, a empresa estima receber cerca de 160 mil cartas, cuja resposta está a cargo da equipa de ajudantes do Pai Natal dos CTT, que envia, por dia entre 900 a 1.000 cartas de resposta.

Em declarações à CNN Portugal, Miguel Salema Garção, diretor de comunicação dos CTT, contou que esta iniciativa surgiu nos anos 80, altura em que a empresa começou a verificar que surgiam, por esta altura, um elevado número de correspondências na sua rede de distribuição, nomeadamente nos marcos de correio, dirigidas ao Pai Natal. "Era um conjunto de cartas sem selo dirigidas para a Lapónia, Belém, enfim, para os mais diversos destinos, cartas essas que vinham dentro de envelopes e que continham escritos ou desenhos realizados por crianças", lembrou.

PUB

A partir de então, a empresa percebeu que esta poderia ser uma oportunidade de "transformar o natal das crianças", envolvendo-as na "magia" da quadra, e, nesse sentido, começou a mobilizar uma equipa para ajudar o Pai Natal, "respondendo a todas as cartas que lhes chegavam". Assim nasceu o "escritório do Pai Natal", onde sete ajudantes do Pai Natal trabalham "a tempo inteiro para garantir que todas as crianças recebem uma resposta" através de um serviço completamente gratuito.

PUB
PUB
PUB

"Este projeto, nesta altura do ano, tem uma dinâmica própria e, portanto, há um conjunto de ajudantes que estão presentes no nosso centro de produção e logística, em Lisboa, ajudantes esses que são trabalhadores do universo CTT e que fazem esse trabalho de receção, identificação e depois de tratamento de dados antes de se responder às cartas", explicou Miguel Salema.

Mónica Lisboa, uma ajudante do Pai Natal dos CTT que trabalha no projeto há 16 anos, adiantou que, até ao momento, a equipa já recebeu 17 mil cartas. Por dia, chegam a ser entregues aos CTT entre 1.500 a 2.000 cartas destinadas ao Pai Natal, e os pedidos variam consoante a idade, como explicou Mónica Lisboa, que adianta que as crianças a partir dos três anos já começam a enviar cartas ao Pai Natal, e há também quem o faça aos 13 anos.

"Tudo depende da faixa etária. Há uns que pedem jogos didáticos, massas modulares. (...) Os mais velhos costumam pedir jogos de computador", enumerou, acrescentando, de seguida, que é frequente surgirem também alguns pedidos mais inusitados, como "um mano aos papás" ou uma "viagem de avião com a avó".

PUB
PUB
PUB
Árvore de Natal em posto dos CTT

Este ano, a empresa espera receber cerca de 160 mil cartas dirigidas ao Pai Natal, um número que "tem vindo a receber ao longo dos anos", adiantou o responsável. "Umas vezes um bocadinho menos, outras um bocadinho mais, mas, grosso modo, ronda as 160 mil, 180 mil cartas escritas por crianças e enviadas ao Pai Natal", afirmou Miguel Salema.

Apesar do elevado volume de cartas entregues, a empresa garante que não há uma carta que fique sem resposta - isto desde que estejam devidamente identificadas: "A maior parte das cartas trazem o remetente no envelope e, portanto, torna-se muito mais fácil [a resposta]. Portanto, todas aquelas que vêm com um remetente que seja visível, legível e esteja identificado, nós aproveitamos para dar ao Pai Natal essa possibilidade de resposta", explicou.

Em declarações à CNN Portugal, Mónica Lisboa adiantou que são enviadas "entre 900 a 1.000 cartas" por dia. Para a ajudante do Pai Natal dos CTT, este é um "trabalho muito gratificante", uma vez que permite dar continuidade à "ilusão do Natal". 

PUB
PUB
PUB

"Este é um mês muito complicado, com muita euforia, mas tudo funciona a 100%, (...) há todo um trabalho de equipa por trás", acrescentou.

Depois da receção da correspondência, a resposta "demora uns dias", cerca de "cinco ou seis", apontou Miguel Salema, uma vez que é necessário realizar "todo um processo de tratamento e de resposta". Contudo, este é "um processo dinâmico e fácil", considerou, até porque "as cartas não chegam todas ao mesmo tempo, vão chegando ao longo do mês e, por vezes, [a receção] estende-se até ao Dia de Reis", que se celebra a 6 de janeiro.

Tendo em conta que "este é já o segundo Natal" celebrado em plena pandemia, os CTT referem, em comunicado, que às cartas de respostas "juntarão um pequeno presente simbólico", sem adiantar, contudo, o que será, para "não estragar a surpresa".

Brindes de Natal numa loja CTT

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

País

Mais País

Patrocinados