Ex-advogado de Rendeiro nega ter concebido plano de fuga: "Mente com todas as palavras"

Carlos do Paulo voltou a sublinhar que não conhece o paradeiro do seu ex-cliente e descreveu as acusações do antigo banqueiro, durante a entrevista à CNN Portugal, como um ataque "contra a honra de todos os advogados"

PUB

Depois de João Rendeiro ter afirmado que foi o seu ex-advogado que montou o seu plano de fuga para parte incerta, Carlos do Paulo veio, nesta terça-feira, à CNN Portugal negar a acusação do antigo dono do BPP. 

Explicando que renunciou ao mandato quando Rendeiro não regressou a Portugal a mando da justiça, Carlos do Paulo defende-se dizendo que o seu antigo cliente "mente com todas as palavras" e "está desesperado contra tudo e contra todos".

PUB

Para o advogado, que nega saber o paradeiro de João Rendeiro, o ex-banqueiro lançou um ataque "contra a honra de todos os advogados" na entrevista que deu à CNN Portugal.

Carlos do Paulo lembra que quando João Rendeiro decidiu não regressar a Portugal, decisão que comunicou através do seu blog pessoal, já tinha transitado em julgado uma sentença de cinco anos e oito meses, além de uma sentença de 10 anos e uma condenação de três anos e meio.

João Rendeiro, neste momento, teria até quase aos 90 anos a Carregueira como destino e, portanto, agora está, imaginemos, num hotel de luxo e permite-se ofender a dignidade dos advogados", afirma o advogado.

PUB
PUB
PUB

Questionado sobre se sabia da intenção do seu antigo cliente em fugir à justiça, Carlos do Paulo reitera que a única coisa que soube foi da questão da dupla nacionalidade. Porém, garante não saber de que país provém o estatuto.

Carlos do Paulo insiste também que nada do que Rendeiro diga pode ser levado a sério, uma vez que "pode dizer que está no Bangladesh e, afinal, está nos Camarões".

João Rendeiro diz que preparou uma fuga, mas não houve fuga, portanto o dr. Carlos do Paulo não pode tê-la preparado", argumenta, sublinhando que, quando o seu cliente deixou Portugal, "saiu com termo de identidade e residência".

O advogado conta que lhe foi comunicada a decisão de não regressar a Portugal, momento em que lhe forneceu "informação jurídica e técnica", assumindo que manteve contacto com o cliente, por telefone, até há bem pouco tempo. "Falámos sempre por telefone, a última vez foi há poucos dias", recorda.

"Esse plano foi-me apresentado por um advogado que não é difícil saber qual foi"

Longe do país e em entrevista exclusiva à CNN Portugal, João Rendeiro disse que Carlos do Paulo se “voluntariou” para “arranjar uma solução” para que não fosse preso, na sequência da condenação efetiva.

PUB
PUB
PUB

“Até setembro, eu não tinha plano de não regressar. Esse plano foi-me apresentado por um advogado que não é difícil saber qual foi", contou, confirmando depois a identidade do advogado a que se referia, jurista esse que "se voluntariou a apresentar uma solução".

O ex-presidente do Banco Privado Português (BPP) negou, assim, um planeamento feito a longo prazo, negando também as versões de que teria pensado ir para a Costa Rica.

João Rendeiro embarcou para Londres no fim de setembro, deixando depois a capital britânica num jato privado rumo a parte incerta. Nesse dia, contou na entrevista, uma procuradora do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) viu-o a deixar o Aeroporto de Lisboa.

 

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça