Canadá restringe espaço aéreo junto aos EUA devido a "operação de defesa aérea ativa"

12 fev 2023, 19:51
Exercícios militares em Taiwan (AP Photo)

Os pilotos que desrespeitem a restrição arriscam-se a ser intercetados e detidos pela força aérea canadiana

O espaço aéreo sobre o Lago Huron, no território canadiano junto aos Estados Unidos da América (EUA), foi encerrado este domingo devido a uma “operação de defesa aérea ativa”. O anúncio acontece menos de uma hora depois de os EUA terem emitido uma restrição semelhante no território do Lago Michigan.

Os pilotos que desrespeitem a restrição arriscam-se a ser intercetados e detidos pela força aérea canadiana.

A informação foi avançada numa altura em que três objetos voadores, um dos quais descrito por Washington como um balão de espionagem chinês, foram abatidos no espaço de uma semana sobre os Estados Unidos e o Canadá.

No sábado, o espaço aéreo do estado norte-americano de Montana foi temporariamente encerrado, mas um avião de combate enviado para investigar uma "anomalia de radar" não identificou nenhum "objeto voador", segundo fontes militares citadas pela agência France-Presse.

Os objetos não identificados abatidos no Alasca e no Canadá, este fim de semana, não são idênticos ao balão de espionagem chinês, destruído pela força aérea norte-americana ao largo da costa da Carolina do Sul, afirmou um porta-voz do Conselho Nacional de Segurança, este domingo.

O representante acrescentou ainda que a dimensão do objeto é muito mais reduzida do que o balão que a Defesa americana acredita que pertencer à República Popular da China.

"Estes objetos não se assemelhavam muito e eram muito menores que o balão da República Popular da China e não os iremos caracterizar definitivamente até que possamos recuperar os destroços", disse o porta-voz, que acrescentou que o trabalho de recuperação dos destroços está a decorrer.

Os esclarecimentos acontecerem momentos depois de o líder democrata do Senado, Chuck Schumer, ter sugerido que os objetos em causa seriam balões.

Horas antes, o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, confirmou ter dado a ordem de enviar equipas para encontrar e investigar os estroços do misterioso objeto voador não identificado que foi abatido por um caça norte-americano, perto de Yukon.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Mais Lidas

Patrocinados