PJ faz buscas nas instalações da Linha Municipal de Apoio a Refugiados da Câmara de Setúbal

CNN Portugal , BCE
10 mai, 10:54

A PJ também está a efetuar buscas na organização Edintsvo, dirigida por Igor Khashin, o cidadão russo que tem estado sob polémica por suspeitas de ter ligações ao Kremlin

A Polícia Judiciária (PJ) está a fazer buscas nas instalações da Linha Municipal de Apoio a Refugiados (LIMAR) da Câmara Municipal de Setúba, com um mandato judicial emitido pela Procuradoria da República da Comarca de Setúbal.

A informação foi avançada pela Câmara Municipal de Setúbal em comunicado enviado às redações, no qual garante estar "a prestar todo o apoio necessário a estas diligências judiciais".

Fontes ligadas ao processo adiantaram à agência Lusa que, além das diligências em curso na LIMAR da autarquia sadina, há mais dois locais, não especificados, onde decorrem buscas, ​​com apoio técnico para a obtenção de prova digital, relacionadas com a receção de refugiados pela Câmara Municipal de Setúbal.

A CNN Portugal sabe que, além dos serviços da autarquia, a PJ também está a efetuar buscas na organização Edintsvo, dirigida por Igor Khashin, o cidadão russo que tem estado sob polémica por suspeitas de ter ligações ao Kremlin e de estar a acolher, em conjunto com a Câmara Municipal de Setúbal, refugiados ucranianos.

As operações de busca em curso na LIMAR ocorrem no mesmo dia em que a Assembleia Municipal de Setúbal vai apreciar duas moções de censura, uma do PS e outra do PSD, à liderança CDU na Câmara de Setúbal devido à polémica em torno da receção de refugiados ucranianos.

Recorde-se que a Comissão Nacional de Proteção de Dados tem em curso um inquérito para averiguar se foram cometidas ilegalidades no acolhimento de refugiados provenientes da Ucrânia no município de Setúbal. A Inspeção-Geral das Finanças também solicitou uma investigação para apurar tudo o que aconteceu neste processo.

A polémica sobre o envolvimento de dois cidadãos russos pró-Putin na receção a refugiados ucranianos na câmara de Setúbal foi denunciada pelo jornal Expresso e pela CNN Portugal. Os refugiados ucranianos terão sido questionados sobre os familiares que ficaram na Ucrânia quando foram recebidos na Câmara de Setúbal.

No processo de acolhimento dos refugiados ucranianos na Câmara de Setúbal, além de Igor Khashin, membro da Associação dos Emigrantes de Leste (Edinstvo) e antigo presidente da Casa da Rússia e do Conselho de Coordenação dos Compatriotas Russos, também a mulher, Yulia Khashina, funcionária do município, está envolvida nas denúncias de ligações ao Kremlin.

Relacionados

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados