BestFly cancela todos os voos em Cabo Verde devido a avaria no segundo avião

Agência Lusa , MJC
17 set, 23:01
Casal japonês está em lua-de-mel há seis meses em Cabo Verde

Os voos domésticos em Cabo Verde eram operados desde 17 de maio de 2021 apenas pela angolana BestFly, em regime de concessão emergencial de seis meses atribuída pelo governo

A BestFly cancelou os voos deste sábado entre as ilhas de Cabo Verde devido a avaria do segundo avião, informando que está a reprogramar as viagens para domingo, dia em que deverá chegar outra aeronave do grupo ao arquipélago.

A administração da companhia informou, em comunicado, que devido a uma avaria do segundo avião que opera as ligações domésticas em Cabo Verde todos os voos de hoje foram cancelados, enquanto os de domingo estão a ser reprogramados e condicionados à resolução das avarias.

A operadora adiantou ainda que, para minimizar os constrangimentos, contratou já os serviços de outra aeronave do grupo que deverá chegar a Cabo Verde no domingo e permanecerá até à estabilização das operações.

“Estamos a viver um momento desafiante. A nossa principal preocupação é a segurança e, por isso, com a avaria da segunda aeronave, na ilha do Fogo, fomos obrigados a cancelar todos os voos previstos para o dia de hoje, enquanto procuramos uma solução alternativa”, explicou a administração.

A empresa referiu no comunicado que a avaria na segunda aeronave ATR72-600 com que opera as ligações aéreas em Cabo Verde junta-se à que se verifica há alguns dias noutra aeronave, em vias de resolução, e que ocorre numa altura de forte pressão internacional em matéria de serviços de apoio à atividade aeronáutica.

“Tudo está a companhia a fazer para ultrapassar a situação com a maior brevidade possível e retomar a normalidade dos voos, mesmo recorrendo ao aluguer de avião no exterior”, acrescentou, indicando que mobilizou para a ilha do Fogo uma equipa técnica especializada para reparar a avaria.

Quanto aos passageiros dos voos cancelados, informou que estão a receber informação dos agentes de ‘handling’.

“Aproveitamos para solicitar a todos os passageiros que sempre que possível, atualizem o seu número de telefone de preferência junto do nosso agente de ‘handling’ por forma a facilitar o contacto das nossas equipas, assim que tivermos uma solução", concluiu a companhia, lamentando os constrangimentos provocados pela situação.

Os voos domésticos em Cabo Verde eram operados desde 17 de maio de 2021 apenas pela angolana BestFly, em regime de concessão emergencial de seis meses atribuída pelo Governo cabo-verdiano.

A partir de 24 de outubro do mesmo ano, passou a operar apenas com a designação de Transportes Interilhas de Cabo Verde (TICV, companhia que adquiriu em julho de 2021), terminando o regime de concessão emergencial.

O grupo angolano BestFly comprou 70% do capital social da TICV aos espanhóis da Binter, ficando os restantes 30% com o Estado cabo-verdiano, e concentrou as ligações aéreas domésticas apenas na TICV, que não operava voos comerciais desde 16 de maio.

Segundo dados da Agência de Aviação Civil (AAC), os voos domésticos em Cabo Verde movimentaram quase 27.000 passageiros em julho, renovando máximos mensais desde o início da pandemia de covid-19.

Este movimento compara com os 12.915 passageiros em julho de 2021, período ainda afetado pelas restrições impostas devido à pandemia, e com os 20.826 em junho de 2022, o mês anterior à última atualização feita pela AAC.

África

Mais África

Patrocinados