"Vendia" telemóveis topo de gama a bom preço, mas entregava "um pedaço de cerâmica"

28 set, 11:30
Material apreendido

Um homem de 48 anos foi detido pela GNR e ficou em prisão preventiva

Um homem de 48 anos abordava as pessoas na rua para lhes "vender" telemóveis topo de gama, mas acabava por lhes entregar "uma bolsa com um pedaço de cerâmica". Acabou detido pela GNR e, após primeiro interrogatório judicial, ficou em prisão preventiva.

A informação é avançada pela própria GNR, através de um comunicado: "O Comando Territorial de Aveiro, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Aveiro, no dia 26 setembro, deteve um homem de 48 anos, por burlas de telemóveis, no concelho de Vila Nova de Gaia".

Durante as investigações, os militares da Guarda "apuraram que um grupo de suspeitos abordava pessoas na via pública, exibindo-lhes telemóveis 'topo gama', a baixo preço, acabando por lhes entregar uma bolsa que no seu interior continha um pedaço de cerâmica".

No decorrer das diligências policiais, foi possível identificar várias situações da referida burla na região norte do país, com especial destaque para o distrito de Aveiro.

No seguimento da ação policial, foram cumpridos três mandados de busca domiciliária e três mandados de busca não domiciliária em viatura, culminando na apreensão de diverso material, destacando-se: seis telemóveis; diverso material cerâmico; duas máquinas de corte de cerâmica e 865 euros em numerário.

Material apreendido (Imagem GNR)

O detido após ter sido presente a primeiro interrogatório judicial, no dia 27 de setembro, no Tribunal Judicial de Aveiro, foi-lhe aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

No entanto, "no seguimento da ação foi ainda constituído arguido um homem de 30 anos e identificados dois homens de 30 e 60  anos", conclui o comunicado das autridades, que acrescenta que "a ação contou com o reforço dos Núcleos de Investigação Criminal (NIC) dos Destacamentos Territoriais de Águeda, Anadia, Aveiro, Oliveira de Azeméis, Ovar e Santa Maria da Feira e com o apoio da Polícia de Segurança Pública (PSP)".
 

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados