"Fomos ultrapassados". Hotel de Luís Filipe Vieira no Brasil não deverá ficar em mãos portuguesas

28 ago, 09:30
Sheraton Reserva do Paiva

Unidade em Recife liga o ex-presidente do Benfica a um alegado caso de corrupção no Brasil. Decisão sobre quem irá explorar o ativo cabe ao Novo Banco, que ficou com o Sheraton Reserva do Paiva como garantia das dívidas de Vieira

O grupo Vila Galé não deverá explorar o hotel no Brasil que pertenceu a Luís Filipe Vieira, ex-presidente do Benfica. À CNN Portugal, o presidente do grupo hoteleiro, Jorge Rebelo de Almeida explicou que o processo não está concluído, mas admitiu ter pouca esperança num desfecho positivo.

“Não desistimos. Mas penso que a opção não vai ser essa”, afirmou no Brasil. Minutos depois, o empresário haveria de resumir o seu posicionamento no negócio: “Fomos ultrapassados”. Ao longo dos últimos meses, quando questionado sobre este projeto, Jorge Rebelo de Almeida foi sempre reagindo com cautela.

Em causa está o Sheraton Reserva do Paiva, unidade de cinco estrelas em Recife, que pertenceu à Promovalor de Luís Filipe Vieira. O ativo ficou sob a alçada do Novo Banco, como garantia das dívidas deixadas àquele banco pelo benfiquista.

“É um belíssimo hotel, só perdeu dinheiro desde que abriu”, referiu Jorge Rebelo de Almeida. O grupo Vila Galé, com presença em Portugal e no Brasil, chegou a ser dado como o melhor posicionado para assegurar a exploração da unidade, que se encontra fechada desde junho de 2020, na sequência da pandemia.

A operação necessita da aprovação do Fundo de Resolução, acionista do Novo Banco. O hotel foi integrado no fundo FIAE, no âmbito do processo de reestruturação da dívida de Luís Filipe Vieira ao banco agora liderado por Mark Bourke.

Acusações de corrupção

O Sheraton Reserva do Paiva terá estado no centro de um caso de alegada corrupção no Brasil. Em setembro de 2020, segundo o “Observador”, o pirata informático Rui Pinto dizia ter descoberto alegados subornos realizados para viabilizar a construção do complexo, através de uma parceria com a construtora Odebrecht.

Dos ativos no Brasil entregues por Vieira como garantia ao Novo Banco, o hotel era encarado como sendo o mais promissor na possibilidade de encaixar capital para cobrir a dívida. Quando foi inaugurado, tratava-se de um projeto na ordem dos 200 milhões de euros.

O Sheraton Reserva do Paiva encaixaria no plano de expansão no nordeste do Brasil do grupo Vila Galé, onde a cadeia hoteleira inaugurou oficialmente este sábado uma unidade em Barra de Santo Antônio, estado de Alagoas. Trata-se de um investimento de 150 milhões de reais (cerca de 30 milhões de euros), responsável pela criação de 300 postos de trabalho. Aos 10 hotéis no Brasil, juntam-se outros 27 em Portugal.

*o jornalista viajou para Barra de Santo Antônio, no Brasil, a convite do grupo Vila Galé

Empresas

Mais Empresas

Patrocinados