Bolsonaro pede ao Tribunal Superior Eleitoral para anular parte dos votos das eleições (o suficiente para ganhar caso a ação seja validada)

22 nov, 20:13
Jair Bolsonaro quebra silêncio (Imagem AP)

Em causa está o alegado "mau funcionamento" de algumas urnas eletrónicas

O ainda Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e o presidente do Partido Liberal, Valdemar Costa Neto, entraram com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para pedir a anulação de votos feitos em cinco modelos de urnas nas últimas eleições presidenciais, noticia a CNN Brasil.

Bolsonaro, que perdeu as eleições na segunda volta para Lula da Silva, alega que houve “desconformidades irreparáveis de mau funcionamento” nesses modelos.

O partido de Bolsonaro cita uma auditoria feita pelo Instituto Voto Legal, contratado pelo PL, que teria constatado “evidências contundentes de mau funcionamento de urnas eletrónicas”. 

“Nessas urnas infelizmente encontramos um número inválido”, o que indica um “indício muito forte de mau funcionamento da urna” e “gera incerteza nos dados dessas urnas”, indicou o engenheiro Carlos Rocha, responsável pela auditoria do relatório do Partido Liberal.

Numa declaração à comunicação social, sem direito a perguntas, em Brasília, o responsável disse ainda que no seu relatório “descobriu-se que existiram urnas que travaram e foram desligadas no mesmo período de votação e ligadas outra vez”. Tal representa, disse, “violação do sigilo do ato de votar”.

“Todas as urnas dos modelos de fabricação UE2009, UE2010, UE2011, UE2013 e UE2015 apontaram um número idêntico de LOG, quando, na verdade, deveriam apresentar um número individualizado de identificação”, afirma a contestação. Os modelos em questão somam 352.125 urnas.

“Nos arquivos que não contêm o código de identificação da urna eletrónica correto é impossível correlacionar, univocamente, os dados ali registados com os eventos realmente ocorridos no mundo fático, sejam eles votos ou intervenções humanas”, diz o documento. “A falta de uma adequada individualização dos documentos essenciais emitidos pelas urnas e as graves consequências daí decorrentes colocam em xeque, de forma objetiva, a transparência do próprio processo eleitoral.”

“Apenas as urnas eletrônicas modelo UE2020 é que geraram arquivos LOG com o número correto do respectivo código de identificação”, diz o Partido Liberal. Este modelo mais recente tem 224.999 urnas, o que representa 40,82% do total.

Segundo a CNN Brasil, com a manutenção apenas dos votos dados nas urnas UE2020 e a anulação dos restantes, é provável que Bolsonaro fosse o vencedor da eleição.

Relacionados

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados