Vítima de Robinho deixa conselho às mulheres: «Não tenham medo»

20 jan, 17:30
Robinho

Internacional brasileiro foi condenado a nove anos de prisão por um tribunal italiano

A mulher de origem albanesa que foi vítima de violação de Robinho e do amigo Ricardo Falco, falou pela primeira vez depois de um tribunal de última instância ter confirmado a condenação do antigo internacional brasileiro a nove anos de prisão. Numa mensagem enviada ao portal brasileiro UOL, a vítima, que preferiu não ser identificada, pede às mulheres que não tenham medo e denunciem os respetivos agressores.

«Mulheres, denunciem, não tenham medo de seus agressores porque diante de cada agressor há outras dez pessoas boas prontas a ajudar-te: um amigo, um familiar, um polícia competente, um juiz, mas, sobretudo, a Justiça», destacou.

A mulher, que se identifica apenas com a letra R, diz ainda que a Justiça nunca apagará a dor de um crime, mas considera que tem o poder de ajudar outras mulheres a não passarem por violência sexual. «Mesmo que ela (Justiça) não seja totalmente reconfortante, porque nunca apagará a dor, a raiva ou fará você voltar a ser a pessoa que era antes, a Justiça será reconfortante para outra mulher. Uma mulher que pode ser nossa mãe, nossa amiga, nossa irmã ou nossa filha. Só denunciando podemos evitar que isso volte a acontecer», acrescentou.

A violação ocorreu numa discoteca de Milão em 2013. Robinho já tinha sido condenado a nove anos de prisão em 2017, mas a sentença foi agora confirmada em última instância, sem possibilidades de recurso.

Ao contrário de Robinho, a vítima esteve em todas as sessões audiências que levaram à sentença final e teve de reviver uma noite que se tornou num pesadelo.

Relacionados

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados