"Há quatro anos era tido como um ser humano jogado fora da política". Lula afirma que retornou com "força" e que 2.ª volta é apenas "prorrogação"

CNN Portugal , HCL
3 out, 02:39

Ex-presidente e candidato Luiz Inácio Lula da Silva mostrou-se confiante numa vitória nas eleições brasileiras e garantiu que a segunda volta será apenas uma "prorrogação"

No seu primeiro discurso após ser declarado vencedor da primeira volta nas eleições brasileiras, Lula da Silva declara que é "preciso recuperar o país" e que os resultados vistos nas urnas são uma "segunda chance".

"Sempre achei que nós iríamos ganhar as eleições e nós vamos ganhar as eleições. Isto para nós é apenas uma prorrogação", afirmou numa conferência de imprensa em São Paulo após a divulgação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que indicou uma disputa entre ele e o atual Presidente, Jair Bolsonaro.

Sublinhando que "há quatro anos era tido como um ser humano jogado fora da política", Lula garante que retornou "com força, vontade e disposição", atirando que as políticas de saúde, económicas e de emprego de Bolsonaro "não estão bons".  "Precisamos de recuperar o país, para a desgraça de alguns tenho mais trinta dias para fazer campanha", acrescenta.

Lula afirma ainda que está na expectativa de debater frente a frente com Bolsonaro e conseguir comparar "o Brasil que ele construiu  ao Brasil que nós construímos". "Começo amanhã a fazer campanha".  O ex-presidente disse acreditar que nada acontece por acaso e afirmou que durante toda a campanha esteve à frente nas sondagens.

De facto, o ex-presidente brasileiro liderou as sondagens com uma margem relevante e parecia ter hipóteses de vencer na primeira volta, mas os números divulgados pelos principais institutos de pesquisa no país não se confirmaram nas urnas e a diferença entre Lula e Bolsonaro ficou em cerca de 4,5 pontos percentuais.

Lula da Silva terminou com pouco mais de 48% dos votos enquanto as sondagens do DataFolha e o Ipec indicavam, respetivamente, que o candidato tinha entre 50% e 51%. Já a votação de Bolsonaro ficou muito acima do que indicavam os mesmos estudos, que lhe davam entre 36% e 35%, mas terminou com pouco mais de 43% dos votos válidos.

Os mais de 156 milhões de eleitores foram hoje chamados às secções de voto até às 17:00 de Brasília (21:00 em Lisboa), nas 577.125 urnas eletrónicas espalhadas por 5.570 cidades do país.

Além de Lula da Silva e Bolsonaro, disputaram a primeira volta das presidenciais brasileiras os candidatos Ciro Gomes, Simone Tebet, Luís Felipe D’Ávila, Soraya Tronicke, Eymael, Padre Kelmon, Leonardo Pericles, Sofia Manzano e Vera Lúcia.

Como nenhum dos candidatos presidenciais ultrapassou 50% dos votos válidos, Lula e Bolsonaro voltarão a enfrentar-se na segunda volta em 30 de outubro.

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados