Autoridades elevam para 29 número de mortes causadas pela chuva no sul do Brasil

Agência Lusa , AM
3 mai, 06:55
Brasil (EPA)

Governo regional do Rio Grande do Sul decretou na noite de quarta-feira estado de calamidade pública por um período de 180 dias

O Governador do estado brasileiro do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, confirmou na noite de quinta-feira que 29 pessoas morreram por causa das chuvas torrenciais que caem no estado.

“Já são 29 mortes registadas até o momento e com a mais profunda dor eu posso dizer que serão ainda mais porque nós não estamos conseguindo acessar determinadas localidades e sabemos de deslizamentos, de inundações e de pessoas que estão em locais inacessíveis. Infelizmente esses números ainda vão aumentar”, afirmou Leite.

O governador informou que há pelo menos 60 pessoas desaparecidas segundo os registos oficiais, e indicou que esse número pode também ser maior porque os trabalhos de resgate estão sendo prejudicados pelo mau tempo.

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul indicou em boletim atualizado no início da noite que cerca de 14,8 mil pessoas estão fora de suas casas, há 4.645 pessoas alojadas em abrigos e 10.242 desalojados. Ao todo, 154 dos 496 municípios do estado registaram algum tipo de problema em razão da chuva, que afetou pelo menos 71,3 mil pessoas.

O governo regional do Rio Grande do Sul decretou na noite de quarta-feira estado de calamidade pública por um período de 180 dias.

As principais regiões atingidas são municípios localizados no centro do estado, Vale do Rio Pardo, Vale do Taquari, na região da serra gaúcha e a zona metropolitana de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.

As autoridades locais também alertaram para um "risco hidrológico extremo" nas próximas horas em grande parte do estado e aconselhou as pessoas a evitarem as proximidades dos rios, cujo fluxo continua a aumentar devido às chuvas, e a procurarem abrigo em local seguro.

As tempestades no sul do Brasil tem destruído estradas, pontes, provocado desabamentos e alagamentos desde a última terça-feira. A previsão é de que os temporais vão continuar até o sábado.

Uma barragem hidroelétrica rompeu perto da cidade de Bento Gonçalves, elevando o estado de alerta. 

A Secretaria do meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) do Rio Grande do Sul informou em nota que monitora as estruturas de mais 13 barragens de usos múltiplos que estão em estado de alerta, cinco delas já em processo de evacuação.

O Presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, visitou na quinta-feira a cidade de Santa Maria, uma das áreas atingidas pelos fortes temporais, e afirmou que o Governo brasileiro fará “tudo o que for possível para auxiliar os governos municipais e estaduais a remediar os danos às milhares de famílias”.

O Rio Grande do Sul, com uma população de 11 milhões de pessoas, tem sido atingido repetidamente no último ano pelo fenómeno climático El Niño, que provoca fortes chuvas no sul do país.

Em setembro passado, eventos climáticos extremos causaram 54 mortes na região.

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados