Vendia casas sem autorização dos donos, lucrou mais de um milhão e fez 22 vítimas. Advogada de Braga acusada de burla

1 jul, 08:17
Casas

REVISTA DE IMPRENSA. Arguida terá agido em parceria com o marido, que também está indiciado de 22 crimes de burla qualificada pelo Ministério Público

O Ministério Público acusou uma advogada de Braga de 22 crimes de burla qualificada. A jurista vendia, alegadamente, casas de clientes sem autorização, com recurso a procurações e outros documentos falsificados. Os crimes terão rendido 1,064 milhões de euros e ocorreram entre 2015 e 2017.

De acordo com o Jornal de Notícias, Anabela dos Santos Nogueira terá feito 22 vítimas, em parceria com o marido, Bruno Nogueira, de 35 anos. A advogada está acusada de 65 crimes, 22 dos quais de burla qualificada. O companheiro, empresário do ramo automóvel, terá de responder por 52 crimes, estando também entre eles 22 indiciações de burla qualificada.

O inquérito envolveu ainda outras duas pessoas, que terão auxiliado o casal na prática dos crimes, alegadamente responsáveis pela criação das falsas declarações e falsificações.

A acusação salienta que os arguidos sabiam que, ao utilizar os referidos documentos, enganavam também os notários de Braga, Famalicão, Maia, Penafiel, entre outros.

Neste momento, correm três processos cíveis no Tribunal Cível de Braga, em que os lesados tentam reaver os bens e dinheiro. Há ainda outro inquérito-crime pendente, por alegada burla, no Departamento de Investigação e Ação Penal do Porto.

Relacionados

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados