Presidente da Liga dos Bombeiros lamenta morte de “herói” da corporação de Óbidos

Agência Lusa , CF
17 ago, 22:23
Incêndio na Serra da Estrela (Nuno André Ferreira/Lusa)

A Proteção Civil e a Câmara de Óbidos também expressaram pesar e relembraram "todo o esforço evidenciado ao longo de 35 anos como bombeiro"

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses lamentou esta terça-feira a morte de um elemento dos voluntários de Óbidos, por doença súbita, no âmbito do combate ao incêndio nas Caldas da Rainha, considerando-o um “herói”.

“Deixo uma mensagem de tristeza que esta morte é para todos nós, mas, acima de tudo, é preciso dizer o exemplo que são os bombeiros, da vida pela vida. Há uma tristeza que está em todos os bombeiros e em particular no corpo de bombeiros de Óbidos”, adiantou António Nunes, à margem de uma reunião com a Associação dos Bombeiros Voluntários da Marinha Grande, no distrito de Leiria.

Dirigindo-se à família do bombeiro, de 52 anos, o dirigente disse que esta deve “vê-lo como um herói”, já que morreu “onde gostava de estar: a lutar para que outros se salvassem”.

“Essa é uma mensagem muito importante. Espero que isto sirva de sensibilização ainda mais, não só para os cidadãos, mas para a sociedade em geral, de que os bombeiros estão aqui para dar a vida quando é necessário”, sublinhou.

No entanto, António Nunes disse que seria “muito bom” que “se lembrassem dos bombeiros, não nestes momentos de tristeza, mas nos momentos de alegria”, ou seja, “quando há capacidade para poder salvar vidas”.

Na sua página na internet, o Corpo de Bombeiros de Óbidos expressou também “muita dor e consternação” pela morte de Carlos Antunes, de 52 anos, "na sequência de um enfarte agudo de miocárdio" durante o "exercício das suas funções, integrado no combate a um incêndio florestal", no Landal, no concelho das Caldas da Rainha.

“Partiu um dos nossos, um dos melhores operacionais, um dos que mais disponibilidade dava ao corpo de bombeiros, um dos que estava sempre presente para ajudar e tantos, mas tantos incêndios ajudou a extinguir”, pode ler-se na página da corporação a que Carlos Antunes esteve ligado nos “35 anos que dedicou à causa dos bombeiros”.

O incêndio deflagrou esta quarta-feira à tarde às 13:45 na localidade de Rostos, freguesia do Landal, nas Caldas da Rainha, distrito de Leiria, tendo alastrado ao concelho de Rio Maior, no distrito de Santarém.

De acordo com a página da internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), consultada pela Lusa às 20:00, este fogo mobiliza 405 operacionais, apoiados por 123 veículos e oito meios aéreos.

Proteção Civil manifesta "consternação e pesar"

Também a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) manifestou “consternação e pesar” pela morte do bombeiro de Óbidos.

Numa conferência de imprensa para fazer um balanço dos incêndios em curso, às 19:00, na sede da ANEPC, em Carnaxide, Oeiras, o segundo comandante da entidade, Miguel Cruz, apresentou as condolências à família do subchefe Carlos Alberto Antunes.

Miguel Cruz estendeu as condolências a todo o corpo de bombeiros de Óbidos e também a todos os que combatem os incêndios, explicando aos jornalistas que a informação que tem é que o bombeiro “circulava na viatura de combate e que foi acometido de doença súbita”, e que essa era a sua primeira missão do dia.

O incêndio das Caldas da Rainha, que começou às 14:53, já envolve também o concelho de Rio Maior, no distrito de Santarém, e segundo o responsável é, com o incêndio que está ativo há mais de uma semana na serra da Estrela, dos que mais preocupa.

Além da morte do bombeiro, deste fogo resultou também um ferido ligeiro, um bombeiro, segundo a ANEPC.

Miguel Cruz explicou também que o incêndio “é dominado pelo vento muito intenso” e está a consumir uma mancha continua de eucaliptal, com muitas projeções, pelo que será necessário durante a noite uma “intervenção musculada” para tentar travar a progressão.

Câmara de Óbidos expressa pesar e relembra o "esforço" e "dedicação" de bombeiro da corporação local

Numa nota de condolências aos familiares, amigos, direção, comando e corpo ativo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários, a Câmara Municipal de Óbitos lamenta a morte do subchefe Carlos Alberto Ferreira Antunes.

“Era bombeiro em Óbidos desde 1987”, lembra o executivo, na nota em que agradece “todo o esforço evidenciado ao longo de 35 anos como bombeiro e a dedicação demonstrada no exercício das suas funções”.

 

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados