Boavista: Reggie Cannon diz que está a realizar a «melhor época da carreira»

12 abr, 14:57
Pedro Gonçalves e Reggie Cannon no Boavista-Sporting

Lateral conta que os companheiros de seleção «ficaram em choque» quando souberam que não estava no grupo para o Mundial2022

Reggie Cannon, internacional norte-americano do Boavista, considera que está a realizar a «melhor época da carreira», destacando o «grande significado» dos 82 encontros que já disputou pelo clube do Bessa desde a época 2020/21.

«Tenho evoluído a cada dia que passa e todos os jogos realizados pelo Boavista fizeram-me crescer. Aprendi muito desde que cheguei ao Bessa, joguei em várias posições e em ambientes diferentes e tudo isso me tem ajudado a ser cada vez melhor jogador. Talvez na próxima época possa ser um dos capitães deste grande clube», destacou o defesa de 24 anos, em declarações reproduzidas pelas plataformas do Boavista.

Apesar de ser lateral direito de raiz, Cannon tem atuado quase sempre como defesa central na equipa de Petit e completou a 26.ª partida desta temporada na passada sexta-feira, quando o Boavista bateu o Vitória de Guimarães, no Bessa, por 2-1, num jogo em que os «axadrezados» quebraram uma série de três derrotas seguidas e quatro jogos sem ganhar.

«Estávamos a precisar de um bom resultado. A confiança estava um pouco em baixo, já que não vencíamos há alguns jogos, mas esta vitória devolveu-nos essa energia positiva. Houve luta, entrega e esforço, mas nem sempre os resultados apareceram. Mostrámos, porém, que estamos preparados para as grandes batalhas e que estamos prontos para morrer uns pelos outros dentro do campo, algo que faz parte da identidade do Boavista. Foi uma vitória especial, mas, agora, não podemos parar. Queremos mais», comentou.

O Boavista subiu ao 11.º lugar da classificação, com 33 pontos, mais 14 face à vaga de acesso ao play-off de permanência. Cannon destaca um «espírito positivo» para «voltar a fazer um grande jogo» em Vizela na próxima segunda-feira, na conclusão da 28.ª jornada.

«Todos sentimos que podíamos, e merecíamos, ter mais pontos, mas o futebol é mesmo assim. Sofremos pela forma como desperdiçamos alguns pontos, pois houve vários jogos em que fomos superiores, mas não podemos fazer nada quanto a isso. Estamos focados em manter um bom nível exibicional e ganhar o máximo de jogos possível até ao final da época», acrescentou.

Com 28 internacionalizações e um golo marcado pela seleção dos Estados Unidos, Reggie Cannon venceu as últimas duas edições da Gold Cup, mas depois ficou de fora da convocatória para o Mundial2022, que se realizou entre novembro e dezembro, no Qatar, com a equipa então comandada por Gregg Berhalter a ser afastada nos oitavos de final pelos Países Baixos.

«Confesso que foi duro ter ficado de fora. Honestamente, sinto que merecia ter lá estado. Na altura, falei com vários colegas e todos ficaram em choque com a minha ausência. A opinião de quase toda a gente era de que eu deveria ter sido convocado, mas tenho de respeitar as decisões. Sou uma pessoa forte e não deixei que isso me afetasse. Aos 24 anos, estou muito orgulhoso do que já conquistei na seleção e sinto que, se mantiver o nível atual, vou acabar por regressar. Estou pronto para voltar a ser chamado», referiu ainda.

Relacionados

Mundial 2022

Mais Mundial 2022

Patrocinados