Bloco acusa PS, AD e IL de votarem nas “mesmas políticas” quando chegam a Bruxelas

Agência Lusa , JGR
1 jun, 20:18
Catarina Martins (Lusa/Rodrigo Antunes)

a candidata bloquista voltou a atacar PS e Aliança Democrática por terem aprovado a nível europeu o Pacto para as Migrações e Asilo da União Europeia

A cabeça de lista do BE às eleições europeias acusou este sábado a Aliança Democrática, PS e IL de votarem “nas mesmas políticas” quando chegam ao Parlamento Europeu e atacou socialistas e sociais-democratas com o Pacto para as Migrações.

“Não vale a pena estar a votar nos partidos que, independentemente das suas oposições a nível nacional, quando chegam ao Parlamento Europeu como o PS, PSD, CDS-PP, os liberais, acabam por votar nas mesmas políticas. Um voto no BE é esse voto feminista e firme”, garantiu Catarina Martins, em declarações aos jornalistas nas festas do Senhor de Matosinhos, no Porto.

Na data em que se assinala o Dia Mundial da Criança, a candidata bloquista voltou a atacar PS e Aliança Democrática (coligação que junta PSD, CDS-PP e PPM) por terem aprovado a nível europeu o Pacto para as Migrações e Asilo da União Europeia.

“Hoje já ouvi várias coisas sobre migrações, ouvi também aliás uma espécie de acusações entre a candidata da AD e do PS entre quem ataca mais ou quem defende mais os direitos humanos. Hoje é Dia Mundial da Criança e, portanto, eu acho que é bom lembrar que tanto PS como AD votaram o Pacto das Migrações, aquele que a UNICEF disse que era inaceitável porque prevê que sejam presas crianças em campos de detenção”, acusou.

Catarina Martins fez questão de garantir que “um voto no BE nunca acaba na política que ataca imigrantes e crianças”, defendendo uma “política da integração e da inclusão”.

Interrogada sobre as posições do cabeça de lista da Aliança Democrática, Sebastião Bugalho, no que toca aos direitos das mulheres, Catarina Martins disse ter registado “a forma como o candidato da AD reage sempre com muita irritação às questões das liberdades das mulheres e dos direitos das mulheres”.

“É verdade que o PS tem alianças com partidos no resto da Europa que não defendem os direitos das mulheres mas enfim, não é a direita que pode falar nisso porque neste momento a direita está a fazer um acordo com a extrema-direita, a mesma que ataca as liberdades das mulheres. Desse ponto de vista sabem com quem podem contar e podem contar com o BE”, argumentou.

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados