Bitcoin, euro e petróleo: está tudo a cair hoje

12 jul, 16:51
Bolsa

A Bitcoin baixou hoje da barreira dos 20 mil dólares. Já o petróleo desceu da fasquia dos cem dólares. E 1 euro atingiu o valor de 1 dólar. Tudo no mesmo dia

Será mera coincidência, mas três ativos financeiros de grande importância já negociaram hoje abaixo de barreiras psicológicas dos seus valor.

O Brent, um dos principais índices de referência internacionais do petróleo, estava a cair 6,7% a meio da tarde desta terça-feira, cotando a 99,68 dólares perto das 16:10. É a primeira vez que o índice desce da barreira dos 100 dólares nos últimos dois meses, período durante o qual chegou a fechar próximo dos 124 dólares.

A cotação do crude tem vindo a cair por causa dos riscos globais de arrefecimento económico, da China aos Estados Unidos, passando pela Europa: com menos crescimento económico, há menos produção consumidora de energia, pelo que as perspetivas de menor procura fazem cair a cotação. Ainda assim, a evolução do petróleo tem sido muito volátil desde o início da invasão da Ucrânia pela Rússia, sendo esta instabilidade condição que torna difícil perspetivar a evolução futura.

Para já, a recente descida do petróleo tem tido efeitos dos preços dos combustíveis em Portugal, que estão a descer.

A descida recente dos preços dos combustíveis só não é maior em Portugal porque o índice Brent é negociado em dólares e a moeda norte-americana tem vindo a valorizar face à moeda europeia.

Hoje foi o dia em que o euro atingiu a paridade com o dólar, isto é, em que 1 euro vale 1 dólar. Tal ocorreu durante a negociação no mercado cambial de manhã e já não se verificava há cerca de 20 anos.

Desde o início deste ano, o euro desvalorizou 11,5% face ao dólar. Na base desta evolução está não apenas o rumo das economias americana e europeia, mas também as políticas de taxas de juro dos respetivos bancos centrais: embora ambos estejam a aumentar taxas de juro, a Fed está a fazê-lo mais agressivamente do que o BCE, atraindo mais capital – isto é, aumentando a procura de ativos em dólares.

A alteração da política de taxas de juro, bem como o voo dos investidores para ativos financeiros de menor risco e os recentes colapsos de algumas cibermoedas, tem vindo também a prejudicar a cotação da Bitcoin, que é de todas a que movimenta mais capital.

Esta terça-feira, a Bitcoin desceu a barreira do 20 mil dólares, agravando a sua desvalorização dos últimos meses. Desde outubro passado, esta cibermoeda afundou cerca de 70%, havendo previsões de analistas mais pessimistas em geral para as cibermoedas, e que sugerem que a queda da Bitcoin não ficará por aqui. Em Wall Street, não há meias palavras para descrever este colapso: é tratado como um crash das cibermoedas.

 

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados