O Big Brother regressa hoje. Saiba como é produzido o reality show com mais sucesso em Portugal

11 set, 11:30
Ex-concorrentes brilham na última noite do «Big Brother - Desafio Final»

Estreia este domingo à noite a nova edição do Big Brother, comandada por Cristina Ferreira. A CNN Portugal foi descobrir, junto da Endemol e da TVI, aquilo que é preciso para dar vida a um reality show desta dimensão

Foi a 3 de setembro de 2000 que muitas famílias se sentaram à frente do pequeno ecrã para assistir ao primeiro formato português do reality show que nasceu nos Países Baixos. Um conceito nunca antes explorado no país, mas que deu início a um longo percurso de vitórias naquela que é a lista de programas mais vistos na história da televisão portuguesa. A gargalhada e os famosos trocadilhos de Teresa Guilherme ainda ecoam em muitos portugueses, que passavam meses a consumir o dia a dia de um grupo de pessoas "reais" confinadas numa casa. 

Até à quarta edição, era nos estúdios da TVI, na Venda do Pinheiro, o local onde os concorrentes ficavam alojados, até as instalações mudarem para uma mansão na Ericeira, já na quinta edição, em 2020 - após um hiato de 17 anos. Regressaram a Mafra um ano depois, desta vez na Malveira, onde foi desenhada uma casa exclusivamente para o programa. 

Sete Big Brother's regulares, um "Big Brother - A Revolução", quatro "Big Brother Famosos", um "Big Brother Vip", um "Big Brother - Duplo Impacto" e, por fim, "Big Brother - Desafio Final": já se somam 15 edições e, este domingo à noite, as portas da "casa mais vigiada do país" voltam a abrir-se aos comandos de "Big" e de Cristina Ferreira, pela segunda vez. Antes, durante a tarde, vai ser possível espreitar as instalações durante a emissão do "Somos Portugal", com Mafalda Castro a dar a conhecer alguns detalhes da casa.

Cristina Ferreira na última gala de "Big Brother - Desafio Final", este ano

Mas como é, afinal, produzido um programa desta envergadura? A Endemol Portugal - empresa responsável pela sua concretização, em linha com o formato internacional - e a TVI destacam várias etapas:

  • Um novo conceito

Cada temporada começa a ser preparada meses antes da sua estreia. Por exemplo, a nova edição começou a ser desenvolvida quando a última ainda estava no ar, e esta primeira fase envolve algumas dezenas de pessoas. Passa por decidir o conceito dos conteúdos que vão ser trabalhados, pensar em ideias para as dinâmicas do programa e desenhar as alterações que serão feitas à casa, incluindo uma nova decoração. "Tudo começa com o desenvolvimento do conceito para a temporada, e a partir daí constrói-se tudo o resto", diz uma fonte oficial da produtora. 

  • Seleção dos concorrentes

Após ser definido o perfil dos concorrentes que irão viver na mansão durante mais de 100 dias, a abertura das candidaturas é divulgada online, implicando a realização de um questionário e a submissão de algumas fotografias da pessoa. Posteriormente é feita a seleção para os castings presenciais intermédios na TVI, nos quais os participantes terão de ser bem sucedidos para alcançarem o casting final, que conta com a presença de elementos da Endemol. São submetidos a exames médicos e a uma avaliação psicológica, antes de ser selecionado, oficialmente, o grupo. 

  • A preparação

Pleaneamento feito, segue-se o desenvolvimento dos conteúdos inicialmente pensados para os episódios diários e as galas de domingo, sobretudo aquela que irá inaugurar a nova edição do programa. Também começam a ser efetuadas as obras na casa, onde são instalados cerca de 70 microfones, 82 câmaras, 50 quilómetros de cabos e 40 monitores. 

  • Ensaios

Os ensaios ocorrem no dia da própria gala e são feitos sem os concorrentes. O objetivo, esclarece a Endemol, é antecipar o que se vai passar para se evitarem falhas. Os concorrentes são surpreendidos no direto. "A magia é sabermos que existe uma possibilidade real de algo inesperado acontecer, mas também termos a certeza que contamos com o profissionalismo e a experiência de uma grande equipa para minimizar este risco ao mínimo", conclui. 

  • Últimos retoques

Os ajustes finais antes do grande dia passam por garantir que as condições técnicas estão reunidas, que os concorrentes estão motivados e animados com a experiência e confirmar que as necessidades de produção estão asseguradas para o direto decorrer como está previsto.

Finalmente, o programa vai para o ar e os concorrentes entram. Está nas suas mãos conquistarem os bens para o dia-a-dia, através das tarefas e provas semanais que lhes são indicadas. "Esse é um ponto fulcral do formato, todos têm de se esforçar para o bem comum", explica a produtora. Contudo, se surgirem necessidades inesperadas, assegura que a produção está preparada para resolver essas situações de forma a garantir o bem-estar dos concorrentes. Isto, sem nunca comunicarem com o exterior. 

Há mais de uma centena de pessoas envolvidas, seja no estúdio da Venda do Pinheiro, ou na casa da Malveira, entre equipa técnica, equipa de conteúdos e equipa de produção. O acompanhamento dos concorrentes ao minuto, 24 horas por dia, sete dias por semana, está a cargo de uma vasta equipa da Endemol. "São olhos atentos e preocupados a quem não escapa nada e que prezam, acima de tudo, o bem-estar dos concorrentes", garante a empresa. 

Já no decorrer da temporada, uma equipa de produção de conteúdos da TVI recebe da Endemol cerca de 35 a 40 minutos de material audiovisual em pequenos blocos, para serem passados nas redes sociais, bem como no "Última hora", das 18 às 19 horas, no "Diário", das 19 às 20 horas, e no "Extra", da meia-noite às duas da manhã. Também são recebidos relatórios, a cada seis horas, sobre aquilo que acontece no interior da casa. "Se acontece algo de relevante, reagimos imediatamente", afirma Lurdes Guerreiro, diretora de produção nacional da TVI. "Todos nós temos a TVI Reality sempre ligada".

Lurdes Guerreiro brinca ainda com as potencialidades dos fãs, descrevendo-os como as "centenas de redatores a quem não pagamos salários, e que se movimentam nas redes sociais para escrever ao minuto".

País

Mais País

Patrocinados