Chanceler alemão “profundamente chocado” com atropelamento em Berlim

Agência Lusa , AM
9 jun, 06:32

Olaf Scholz confirmou ainda que alguns dos feridos são alunos que se encontravam numa visita de estudo

O chanceler alemão Olaf Scholz disse estar "profundamente chocado" com o atropelamento de várias pessoas, na quarta-feira, em Berlim, que fez um morto e nove feridos graves.

“Estou profundamente chocado com o crime horrível (...). A viagem de uma turma de uma escola de Hesse a Berlim termina num pesadelo", escreveu o líder alemão, na rede social Twitter, mencionando um grupo de estudantes que visitavam a capital alemã.

"Os nossos pensamentos estão com as famílias dos mortos e feridos, incluindo muitas crianças", acrescentou Scholz, que desejou a todos os afetados uma rápida recuperação.

Por detrás do atropelamento seguido de fuga, que ocorreu por volta das 10h30 (09:30 em Lisboa), numa esquina perto da igreja Kaiser Wilhelm, encontra-se um cidadão germano-arménio de 29 anos cuja identidade não foi revelada, de acordo com a agência noticiosa Europa Press.

O homem terá atropelado um grupo de pessoas antes de embater numa montra de uma loja, relatou a agência de notícias alemã Deustche Presse-Agentur (DPA).

Tanto a Polícia como o Corpo de Bombeiros confirmaram a morte de uma pessoa. Trata-se de uma professora de 51 anos, que acompanhava o grupo de estudantes.

Seis pessoas encontram-se em perigo de vida, ainda segundo os bombeiros, sendo que outras três vítimas estão gravemente feridas e um número não identificado, com ferimentos menores, está a receber cuidados médicos.

"Por favor, entendam que não damos informações sobre os feridos até que os familiares sejam contactados”, referiram as autoridades policiais alemãs, numa mensagem no Twitter.

Por outro lado, a autarca de Berlim, Franziska Giffey, prometeu fazer "todo o possível" para "ajudar os afetados", salientando que serão realizados todos os esforços para esclarecer o ocorrido.

Vários meios de comunicação, desde o jornal Bild à televisão pública ARD, avançaram que não se tratou de um acidente, como inicialmente se considerou, mas sim de um ato deliberado ou mesmo com motivações políticas.

O jornal cita fontes da investigação referindo que, dentro do carro envolvido no atropelamento, foram encontrados vários documentos e cartazes relacionados com a Turquia.

Até ao momento, a polícia insistiu que está a investigar todas as possíveis explicações para o que aconteceu, tanto um acidente, talvez causado por um problema de saúde, como um ato intencional.

Meios de comunicação alemães, que citaram fontes policiais, aludiram a possíveis problemas psíquicos do condutor do veículo e apontaram para a aparente confusão do homem quando foi detido pela polícia.

O homem, condutor de um automóvel propriedade da irmã, tentou fugir após o atropelamento, mas foi detido por transeuntes até à chegada de agentes da polícia.

O local situa-se próximo de Breitscheidplatz, a praça central onde em dezembro de 2016 o tunisino Anis Amri abalroou deliberadamente, conduzindo um camião roubado, um popular mercado de Natal, matando 13 pessoas de várias nacionalidades.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados