Rui Costa: «Chalana era um génio e um dos maiores símbolos do Benfica»

10 ago, 11:55
Fernando Chalana (Benfica)

Presidente dos encarnados diz que tudo fará «para que a memória dele esteja bem presente»

Ainda na Dinamarca, o presidente do Benfica, Rui Costa, lamentou a morte de Fernando Chalana e destacou as memórias que o «pequeno genial» deixou pelo que fez dentro dos relvados.

«É um dia muito triste para toda a nação benfiquista e todos os amantes do futebol. O nosso génio, após sofrer tanto neste últimos tempos, acabou por, curiosamente, escolher o dia 10 para nos deixar e partir em paz. Partiu um dos maiores génios do futebol nacional, um dos maiores símbolos do clube, terá um lugar na história do clube para todo o sempre, por todas as memórias que temos dele», disse o dirigente encarnado, à BTV.

Rui Costa recordou ainda a última época da carreira (2007/08), em que o Benfica começou com Fernando Santos no banco, técnico que foi substituído por José Antonio Camacho logo nas primeiras jornadas. Contudo, Chalana, na reta final da temporada, teve de assumir a equipa.

«Foi meu treinador no último ano e posso até adiantar que esse mesmo ano acabou por ser o início do problema dele, pela forma como se empenhou naquele período em que não estávamos bem e tentou segurar a equipa até final da época. Foi o meu último treinador, inclusive, e sentimos, por tudo aquilo que tentou dar à equipa e não estávamos a conseguir… Sentimos o início dos problemas dele. Isso também revela a paixão e a dedicação pelo clube», notou.

«Prefiro guardar, enquanto meu treinador, os momentos felizes dele, os 'meiinhos' connosco, a intensidade e a paixão que tinha pelo futebol e pelo Benfica. Estamos a falar daquele que todos nós, jogadores, consideramos o maior génio do futebol português. Enquanto presidente, tudo farei para que a memória dele esteja bem presente em todos os benfiquistas», concluiu.

Relacionados

Benfica

Mais Benfica

Patrocinados