Adeptos do Benfica ligados aos No Name Boys condenados a penas pesadas por violação de menor

Carolina Resende Matos , (atualizado às 17:40)
24 jun, 17:13

Na leitura da sentença, feita esta segunda-feira, a juíza considerou que a conduta dos arguidos foi "absolutamente bárbara, primitiva e cobarde".

Os adeptos do Benfica com ligações à claque No Name Boys foram esta segunda-feira condenados a penas pesadas pelo tribunal. Quatro dos 13 arguidos foram condenados a penas entre nove e sete anos e alguns meses. Parte dos arguidos beneficiou de um decréscimo de menos um ano (de pena) por terem menos de 30 anos de idade.

O tribunal deu como provados os crimes de violação agravada, roubo, ofensas à integridade física. Os arguidos terão ainda de pagar 24 mil euros à vítima de violação, um jovem de 16 anos, também adepto do Benfica.

Na leitura da sentença, feita esta segunda-feira, a juíza considerou que a conduta dos arguidos foi "absolutamente bárbara, primitiva e cobarde". 

A magistrada acrescentou ainda que lhe custava a crer "que jovens entre os 21 e os 30 anos tenham a coragem de fazer passar as atrocidades, que aqui estão descritas, ainda para mais a um jovem de 16 anos. É uma conduta bárbara, ignóbil".

Quatro dos arguidos foram condenados a penas de prisão efetiva: um a nove anos, outro a sete anos e seis meses, outro a sete anos e três meses e, por fim, outro a sete anos e dois meses. Outros quatro arguidos foram condenados e penas suspensas e cinco foram absolvidos.

Recorde-se que os 13 adeptos eram suspeitos de terem violado um menor, mas não só. Após serem detidos pela PSP em fevereiro de 2023, oito ficaram em prisão preventiva e cinco obrigados a apresentações periódicas. E ainda impedidos de entrar em recintos desportivos.

Os outros crimes a envolver o grupo sentado no banco dos réus eram roubo, ofensas à integridade física, violação agravada, gravações ilícitas, coação agravada, desobediência, detenção de arma proibida e tráfico de estupefacientes.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados